UFJF e MOC encaram adversários com mesmo número de pontos

Equilíbrio é mostrado, ainda, pelo fato dos times terem mesmo número de vitórias e derrotas; três das quatro equipes ainda se equiparam no saldo de sets

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Marcelinho Ramos espera que sua presença surta efeito imediato
FERNANDO POTRICK
Marcelinho Ramos espera que sua presença surta efeito imediato

 

Os times do interior mineiro têm confrontos importantes neste sábado pela Superliga masculina. Muito mais que os três pontos, os times buscam desbancar adversários diretos na classificação. Com seis pontos na tabela, UFJF e Montes Claros Vôlei vão encarar oponentes que possuem o mesmo número de pontos, vitórias e derrotas no campeonato, até o momento.

Para mostrar o equilíbrio ainda maior entre as equipes, o saldo de set entre três destas quatro equipes é idêntico, com uma pequena diferença aparecendo no saldo de pontos, algo que não costuma ser frequente no decorrer do torneio. Um triunfo joga os times para um patamar mais alto, fazendo a presença no G-8 se tornar mais ativa.

Indo para o quinto jogo da competição, a UFJF, em 10º lugar, encara o Voleisul-Paquetá-Esportes-RS, em casa. A partida está marcada para as 19h, na Zona da Mata. Pelo critério de desempate, o time leva desvantagem. No entanto, um resultado positivo pode dar ao time a desejada presença na zona dos times que passarão aos playoffs. No último jogo, a UFJF foi até Montes Claros e beliscou uma vitória importante, que a colocou na briga entre os oito primeiros. Para o técnico Chiquita, o time vem evoluindo e é importante manter esse crescimento.

“Sabemos da dificuldade que é enfrentar o Voleisul. Mas se mantivermos o foco das últimas quatro partidas, temos grandes chances de encaminhar os três pontos”, indica.

Para o técnico do time gaúcho, a partida é chave, principalmente por ser contra um time que deve brigar, até o final, com sua equipe por um avanço de fase.

“Vários dos jogos que fizemos até aqui, foram contra equipes de nível bem superior. Desta vez será diferente. Teremos pela frente um time do mesmo nível do nosso, com a mesma pontuação, e que briga pelas mesmas coisas. Temos de fazer um bom jogo e sair com pontos que serão muito importantes”, destaca Paulo Roese.

Precisando evoluir. Já o Montes Claros, em oitavo - último lugar na zona de classificação -, vai até o interior paranaense enfrentar o Ziober-Maringá, que está uma posição abaixo. O jogo está marcado para as 18h30. O time do Norte de Minas perdeu boa oportunidade de somar três pontos na última rodada ao cair para a UFJF dentro de casa.

"Mais que a derrota, o que mais nos incomodou foi jogar mal e não ter esboçado muita reação. Isso causou um impacto negativo no time, não conseguimos desenvolver o jogo que tínhamos em mente. Estávamos, até então, melhorando e acabamos pecando e deixando esta vitória escapar", mostra o central Acácio.

A instabilidade do MOC ainda incomoda o experiente meio-de-rede. "Ainda estamos buscando um melhor entrosamento, assim como o Maringá. Precisamos melhorar em alguns aspectos e este pode ser um jogo interessante para vencer. É hora de pensar mais no nosso time do que no oponente. Temos muito a evoluir", relata.