PM aguarda ser comunicada para mudanças no plano de segurança

STDJ acatou pedido do Galo, que quer 10% dos ingressos do jogo final da Copa do Brasil; Cruzeiro tinha passado cota inferior

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Coronel Machado comandará batalhão que vai atuar na Copa
Divulgação / Polícia Militar
Coronel Machado comandará batalhão que vai atuar na Copa

A Polícia Militar aguarda uma comunicação oficial do Cruzeiro ou da Federação Mineira de Futebol para, se for o caso, mudar seu planejamento e assegurar a capacidade de 10% para o torcedor do Atlético no jogo decisivo da Copa do Brasil, dia 26.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou o pedido da diretoria do Galo para que o Cruzeiro cumpra o Regulamento Geral de Competições, sob pena de multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

O Cruzeiro ofereceu 2.736 lugares (menos de 5%), mas com a redução de segurança da PM, a quantidade caiu para 1.854. Para comportar um público de cerca de 6.000 atleticanos – a expectativa de público é de 60 mil – seria precisou que outros setores sejam disponibilizados.

De acordo com o coronel Ricardo Machado, chefe do Comando de Policiamento Especial (CPE), se a PM receber algum comunicado nesta sexta-feira, poderá fazer nova vistoria na segunda-feira.

A princípio, para comportar uma quantidade maior de atleticanos, seria preciso diminuir o espaço cruzeirenses no setor Laranja Superior, à esquerda de onde ficaria a torcida do Galo. Os setores de 101 a 104 e o 146, hoje interditados, não poderia ser utilizados por atleticanos porque o acesso passa por uma área de cruzeirenses.

Leia tudo sobre: pmMineirãofinalCopa do BrasilAtléticoCruzeiro