Intel prevê aumento de receita mas ainda perde com dispositivos móveis

Após dois anos de queda geral nas vendas, a empresa prevê aumento de cerca de 5% e continua lutando para acompanhar a ascensão dos smartphones e tablets

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Intel. Edison é um computador do tamanho de um cartão de memória. Intel também anuncia Dual OS, para rodar em um mesmo PC, ao mesmo tempo, o Windows e o Android.
Intel/Divulgação - 10.1.2014
Intel. Edison é um computador do tamanho de um cartão de memória. Intel também anuncia Dual OS, para rodar em um mesmo PC, ao mesmo tempo, o Windows e o Android.

A fabricante de chips Intel continua lutando para acompanhar a ascensão dos dispositivos móveis, mas disse que seu negócio de chips para PCs está tendo performance melhor que a esperada. Após dois anos de queda geral nas vendas, a empresa prevê aumento de cerca de 5% na receita em 2015, para cerca de US$ 55,8 bilhões em 2014 -analistas previam, em média, crescimento de 3,4%.

"Nós fomos muito lentos no passado", disse o presidente-executivo Brian Krzanich a analistas na quinta-feira (20) durante a conferência financeira anual da companhia. "Eu acho que neste ano vocês verão a coisa andar mais rápido."

Os comentários foram ecoados por vários executivos da empresa, que reconheceram a lenta resposta da Intel para a tendência mundial de computação móvel.

A Intel é a principal fabricante mundial de chips microprocessadores, que servem de cérebro para PCs, e tem sofrido à medida que os consumidores voltam-se cada vez mais para smartphones e tablets -aparelhos que utilizam, em sua maioria, chips menos poderosos, produzidos por outras empresas.

A companhia perdeu mais de US$ 1 bilhão no segmento no último trimestre, em parte por pagar subsídios a fabricantes de aparelhos para encorajar um maior uso de suas tecnologias.

"Eu não vou dizer que estou orgulhoso de termos perdido todo esse dinheiro, mas não me sinto envergonhado por isso, como me sentia há cerca de um ano", disse Andrew Bryant, membro do conselho da empresa. "É o preço que se paga por ficar à margem durante anos e, agora, voltar a lutar por um lugar no mercado."

O presidente-executivo Krzanich, no cargo desde maio de 2013, fez um discurso otimista em relação ao mercado mundial de PCs. Ele disse que o declínio nas vendas parece ter se estabilizado, baseado em projeções da própria companhia e em estudos recentes de consultorias independentes.

A companhia espera vender mais chips para PCs de centros de dados e uma vasta gama de aparelhos inteligentes, como os vestíveis, de acordo com o chefe de finanças Stacy Smith. "Estamos crescendo de novo e esperamos seguir neste caminho no ano que vem", disse o executivo.

A empresa deve atingir o seu objetivo de fornecer chips para pelo menos 40 milhões de tablets neste ano, mas ainda assim espera perda com dispositivos móveis. O setor só deve começar a da lucro em 2016.

A Intel anunciou recentemente planos de unificar suas divisões de PC e mobilidade, dizendo que a linha que separa os dois segmentos esta ficando mais tênue.

Alguns analistas questionam se a jogada tem o intuito de tornar mais difícil rastrear as perdas da Intel com chips móveis. Um porta-voz da empresa disse que a companhia ainda não decidiu como reportará a performance financeira do setor no caso.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave