Participação de executivo da Engevix é 'secundária', diz advogado

Gerson Almada foi citado nos depoimentos do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef como o interlocutor deles na empreiteira

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O advogado Fábio Tofic, que defende o vice-presidente da empreiteira Engevix, Gerson Almada, classificou nesta sexta-feira (21) a participação do seu cliente no processo da Operação Lava Jato como "secundária".

Almada é um dos executivos presos na operação da Polícia Federal que investiga pagamento de suborno na obtenção de contratos com a Petrobras.

Ele foi citado nos depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef como o interlocutor deles na Engevix na formação de cartel para fraude em licitações e pagamento de suborno a agentes públicos.

Tofic admite que a Engevix mantinha contratos com empresas de Youssef, mas nega que seu cliente tenha praticado atos ilícitos. Ainda de acordo com ele, Almada está disposto a colaborar com a Justiça.

"Ele não fugiu, ele não limpou a conta. Então ele tem uma conduta de uma pessoa que não tanta frustrar as ações da Justiça", diz o advogado. Tofic afirmou ainda que pretende entrar com um pedido de revogação da prisão de Almada na Justiça Federal de Curitiba.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave