Tribunal deve receber hoje notícia de infração contra o Boa Esporte

Procurador do STJD considera que América pode estar cometendo um erro de interpretação do regulamento. Se for o caso, clube corre o risco até de ser punido.

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Esportes - Belo Horizonte  / BRASIL

Campeonato Brasileiro serie B America MG x Bragantino valido pela 23 rodada.

Na foto: Henrique Saliba advogado do america.

Foto: Uarlen Valerio/ O Tempo -15-09-2014
Uarlen Valério
Esportes - Belo Horizonte / BRASIL Campeonato Brasileiro serie B America MG x Bragantino valido pela 23 rodada. Na foto: Henrique Saliba advogado do america. Foto: Uarlen Valerio/ O Tempo -15-09-2014

O departamento jurídico do América deverá dar entrada até às 18h desta sexta-feira, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), com uma notícia de infração contra o Boa Esporte alegando que o clube de Varginha teria infringido o artigo 7 do Regulamento Específico da Série B, que prevê que cada clube pode receber, no máximo, cinco atletas transferidos de outros times que disputam a competição.

O argumento do América é o de que ao contratar o atacante Romão, o Boa Esporte superou a cota de seis atletas. Se vier a ser julgado, a Coruja poderá perder até 39 pontos na Série B e cair para a zona de rebaixamento da competição. “Vamos encaminhar a notícia de infração ao STJD e a procuradoria do órgão vai avaliar os documentos e decidir se oferece denúncia”, afirmou o advogado do Coelho, Henrique Saliba.

O advogado do Boa Esporte, Lucas Ottoni, garante que o clube está dentro da lei. “O Romão está e sempre esteve regular. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já interpretou casos idênticos de outros clubes que foram acusado de ultrapassar a cota de transferências de jogadores oriundos da mesma competição e jamais entendeu pela irregularidade”, afirmou Ottoni.

Apesar de ainda não ter acesso a denúncia, o procurador do STJD, Paulo Schmitt, considerou nesta sexta-feira que o América pode estar cometendo um erro em seu julgamento do caso. Segundo ele, dos seis jogadores contratados pelo Boa Esporte, dois não foram sequer relacionados para nenhum jogo dos clubes de origem no campeonato deste ano.

Paulo Schmitt ainda ressaltou que, caso não seja comprovada a irregularidade, o América correria o risco de ser enquadrado no artigo 221 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva que diz respeito a “dar causa, por erro grosseiro ou sentimento pessoal, a instauração de inquérito ou processo na Justiça Desportiva”. Neste caso, a pena seria uma multa entre R$ 100 a R$ 100 mil.

Leia tudo sobre: série baméricaboa esportestjdjulgamentoprocuradoriaadvogadolucas ottonihenrique saliba