Uma lenda viva da cidade

Beto Múmia, que está em Contagem desde 1976, se consolidou como um dos maiores DJs da cidade, além de ter trago artistas de grande notoriedade para tocar no município

iG Minas Gerais |

Na noite. 
Beto Múmia ficou conhecido por animar a danceteria Foccus
Divulgação
Na noite. Beto Múmia ficou conhecido por animar a danceteria Foccus

Uma verdadeira lenda das festas de Contagem. Cheio de grandes histórias, Beto Múmia, conhecido em toda a cidade por ter consolidado seu nome como um dos maiores DJs e um dos principais produtores de shows de Minas Gerais, tem uma rica trajetória promovendo eventos que marcaram a memória dos contagenses. Vivendo na cidade desde 1976, Beto Múmia entrou no mundo da discotecagem e logo fez seu nome na antiga danceteria Foccus, que marcou época em Contagem. “Antes da Foccus e dos eventos que trouxe para Contagem, ninguém considerava a cidade, e de repente todos viraram os olhos para o município”, diz. Um dos momentos marcantes da carreira de Beto Múmia aconteceu quando ele trouxe a famosa banda U2 Cover para tocar em Contagem, no evento Rock School. “Em 1997, lotamos o estacionamento do Big Shopping, no primeiro grande evento do local, que reuniu 20 mil pessoas e obrigou até mesmo o trânsito da avenida João César a ser desviado”, lembra. Já o Poliesportivo do Riacho ficou marcado por ter sido lotado por mais de 6.000 fãs, quando ele trouxe a banda Capital Inicial para tocar. “À época, Dinho Ouro Preto ficou tão surpreendido com a euforia dos fãs de Contagem que queria fazer outro show imediatamente” conta. Ao todo, Beto Múmia contabiliza ter produzido shows de mais de 45 atrações nacionais e internacionais. Em sua carreira já passaram nomes como CPM 22, Capital Inicial, Ira!, Pato Fu, Titãs, Camisa de Vênus, Cheiro de Amor, Biquini Cavadão, Chiclete com Banana e nomes internacionais como o Konkan e Technotronic. Dois desses grandes nomes, por exemplo, fizeram shows em Contagem trazidos por Beto Múmia. Na década de 90, o Titãs tocou no CSU para o acústico MTV, enquanto o Biquini Cavadão se apresentou no Instituto Elizabeth Kalil. “O show no colégio provou que os integrantes do Biquini Cavadão são artistas de verdade. Houve um problema no dia, e ficamos sem energia elétrica. Eles tiveram que se apresentar para os fãs sem equipamento de som, e mesmo assim foi incrível”, conta. A Contagem de ontem e hoje De acordo com Beto Múmia, atualmente as pessoas têm evitado sair de casa e ficar até tarde nos eventos. “Nas décadas de 80 e 90 a avenida João César ficava cheia durante as madrugadas.

Atualmente a população tem evitado ir às festas devido a fatores como a criminalidade”, afirma.

No entanto, Beto Múmia afirma ter notado que nos últimos tempos Contagem tem vivivo um boom, com o surgimento de vários estabelecimentos de qualidade para quem quer curtir a noite. “No último ano surgiram espaços de muita qualidade na cidade, como o Clube Havanna, o Vosso Butiquim, o Bambu e o Mei du Mato, só para citar alguns”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave