Ex-estagiária é presa por fraudar o INSS em Belo Horizonte

Prejuízo aos cofres públicos poder ser de até R$ 20 mi; suspeita é investigada por outros crimes, e já foi condenada por estelionato também contra a Previdência Social

iG Minas Gerais | Da Redação |

Uma ex-estagiária do INSS foi presa nesta sexta-feira (21) por fraudar a Previdência Social em Belo Horizonte. A suspeita, detida dentro da operação Lewinsky, jé investigada em outros inquéritos policiais e já foi condenada pela Justiça Federal em duas ações por prática de estelionato contra a Previdência Social. Ainda foram cumpridos dois mandados judiciais de busca e apreensão.

As investigações contaram com o auxílio da Previdência Social e apuraram que a ex-funcionária continuava a agir na capital e tentava difundir sua atuação pelo interior do Estado.

Mediante pagamento, ela aliciava interessados em obter aposentadorias junto ao INSS e fornecia documentos contendo vínculos empregatícios falsos, por vezes, na forma de certidões de tempo de serviço de órgãos públicos. Os prejuízos aos cofres públicos podem chegar a R$ 20 milhões em benefícios previdenciários fraudados.

A estelionatária foi presa e será encaminhada ao presídio, onde permanecerá à disposição da Justiça Federal.  A ex-estagiária poderá responder por crimes de uso e falsificação de documentos, além de estelionato qualificado, podendo ser condenada a uma pena de seis anos e meio de prisão por cada golpe contra o INSS.

As investigações prosseguem para que sejam  instaurados inquéritos policiais específicos para cada aposentado beneficiado pelo esquema, com pena prevista de seis anos e meio de prisão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave