Nova lei permite mais punições

O setor avalia que a restrição do crédito tem importante contribuição na queda das vendas – de 9% no ano ante igual período de 2013

iG Minas Gerais |

São Paulo. Já está em vigor a nova regra para retomada de veículos de compradores inadimplentes, que vai facilitar a recuperação de bens com atraso nas parcelas de financiamento. Metade das vendas de veículos é financiada.  

A nova lei desburocratiza o processo, que hoje pode levar mais de um ano. Com isso, a expectativa é que o prazo caia para cerca de três meses, que os bancos deixem de ser tão seletivos na hora de liberar o crédito e até mesmo reduzam os juros. O setor avalia que a restrição do crédito tem importante contribuição na queda das vendas – de 9% no ano ante igual período de 2013.

“Nossa expectativa agora é que os bancos aumentem em até 20% o volume de aprovação dos contratos”, diz Flavio Meneghetti, presidente da Fenabrave, que representa as concessionárias. Atualmente, além do prazo longo, recuperar um carro em inadimplência custa, de acordo com o bem e com a complexidade do processo de apreensão, entre R$ 4 mil e R$ 14 mil, segundo as financeiras. O cálculo inclui custos com advogados, quitação de multas e impostos não pagos e gastos com leiloeiro. As novas regras preveem a eliminação de etapas no processo judicial e possibilidade de alienação online dos bens do devedor. De cada 100 inadimplentes, 70% fazem acordo. Após a ação, 22% saldam a dívida e 8% são retomados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave