Um exemplo a não ser seguido

Esse banner nasceu da necessidade, num instante de pressa, e não porque alguém pensava que fosse uma ideia particularmente boa

iG Minas Gerais |


Aplicativos, redes sociais e dispositivos móveis exigem um novo modelo de publicidade
LEO FONTES / O TEMPO
Aplicativos, redes sociais e dispositivos móveis exigem um novo modelo de publicidade

Nova York, EUA. A história do banner publicitário é um exemplo a não ser seguido pelas startups mais populares da atualidade. É uma história do que acontece quando se tenta ganhar dinheiro com uma invenção rápido demais, antes que ela tenha formado uma base ampla o suficiente para criar um modelo de negócios sustentável e simbiótico.  

Essa história também exemplifica os perigos que crescem feito uma bola de neve da nova tecnologia: assim que uma inovação se torna aceita marginalmente, seu sucesso inicial pode rapidamente virar domínio, ainda que quase todo mundo concorde que não é bom. “Algumas pessoas ficam tentando dizer que não estávamos realmente falando a sério ao botar anúncios de branqueamento de dentes ao lado de belas reportagens. A gente fica tentando dizer que deveríamos tentar outra coisa. Porém, o banner publicitário continua existindo, de alguma maneira”, disse Chris Dixon, investidor de tecnologia. Esse banner nasceu da necessidade, num instante de pressa, e não porque alguém pensava que fosse uma ideia particularmente boa. “Realmente não havia escolha”, disse Andrew Anker, que em meados da década de 1990 era o diretor de tecnologia da “Wired”, encarregado de achar uma maneira de pagar a entrada da revista impressa no mundo digital. Anker sabia que assinaturas ou outros pagamentos diretos pelo conteúdo da revista não funcionariam; era tecnicamente difícil aceitar pagamentos com cartão de crédito na web recém-nascida. Assim, a publicidade se tornou a única opção.

Perigoso?

Jeito. Até empreendedores que compreendiam os perigos dos banners cederam a eles. Isso entregava boa parte da infraestrutura publicitária a terceiros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave