Reforço para controlar torcida

Moradores do entorno do estádio pedem ações para coibir abusos de torcedores no domingo

iG Minas Gerais | Johnatan Castro |

Repetição. 

No ano passado, milhares de torcedores se concentraram nas ruas antes da partida decisiva
DENILTON DIAS / O TEMPO
Repetição. No ano passado, milhares de torcedores se concentraram nas ruas antes da partida decisiva

No próximo domingo, cerca de 50 mil pessoas devem encher o estádio do Mineirão, na Pampulha, para a partida entre Cruzeiro e Goiás – jogo em que a equipe mineira pode ser campeã brasileira. Para os moradores do entorno do estádio, no entanto, o dia não será de festa, e os transtornos começarão muito antes de a bola rolar. A concentração dos torcedores nas ruas próximas ao Mineirão em dias de jogos, fazendo churrasco e consumindo bebidas alcoólicas, tem deixado um rastro de sujeira e de depredações.  

O problema foi debatido nesta quinta em uma audiência pública na Câmara Municipal. O encontro, mediado pelo vereador Coronel Piccinini (PSB), contou com a presença do secretário de Estado de Defesa Social, Marco Antônio Romanelli, além de representantes da Empresas de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), da prefeitura, da Polícia Militar, da Minas Arena (que administra o estádio), da Associação dos Moradores dos Bairros São Luís e São José (Pró-Civitas), dentre outros.

Os moradores argumentam que a proibição da venda de bebidas alcoólicas no interior do Mineirão e os preços altos cobrados pelas lanchonetes do estádio criaram nos torcedores o hábito de se concentrar do lado de fora para consumir as bebidas e comidas trazidas de casa.

O ponto mais crítico está no encontro da alameda das Palmeiras com a avenida Antônio Abrahão Caram. “Eles invadem jardins, urinam nos muros das residências. Eu moro lá há 43 anos, e o problema nunca foi tão grave”, afirmou o vice-presidente da Pró-Civitas, Claude Mines. Entre os transtornos relatados ainda estão brigas, furtos e assaltos, acúmulo de lixo, congestionamentos e vidros e retrovisores de veículos quebrados.

As autoridades que participaram da audiência prometeram analisar as reclamações e promover ações para amenizar os transtornos, mas poucas soluções imediatas foram apresentadas. O secretário Romanelli destacou o aumento no efetivo policial para atuar na área, ajudar na fiscalização e coibir a realização dos churrascos. O acréscimo, segundo ele, será variável e de acordo com o jogo.

“O governador já mandou aumentar o efetivo em dias de jogos. Em vários eventos ficou claro que, (com a presença do) policial na rua, cai drasticamente o índice de criminalidade”, disse, ressaltando que imagens de câmeras de segurança no entorno do estádio também serão monitoradas. “A polícia vai agir em conjunto com a fiscalização da prefeitura, vai atuar em caso de resistência e, se precisar, até prender”.

Abertura da esplanada será estudada pela administradora Duas soluções para resolver os problemas causados pela aglomeração de torcedores no entorno do Mineirão foram apresentadas pelo vereador Coronel Piccinini (PSB) durante audiência pública realizada nesta quinta. Uma delas é a abertura da esplanada do estádio para a venda de bebidas e comidas, que seria encerrada 90 minutos antes das partidas. Outra solução seria a volta da venda de bebidas alcoólicas dentro do estádio, proibida por lei desde 2008. Os representantes da Minas Arena – administradora do Mineirão – prometeram estudar as sugestões, mas foram pouco receptivos. “Na Copa, a esplanada foi aberta para o comércio, e o número de ocorrências policiais aumentou significativamente”, afirmou o diretor de operações, José Severiano Braga. Ele ainda rebateu as críticas de preços altos praticados no interior do estádio e afirmou que existem torcedores que compram os produtos antes e depois dos jogos.

Saiba mais Números.  Segundo oficiais da Polícia Militar, em média, cerca de 450 militares fazem a segurança no Mineirão em dia de jogos. Em finais de campeonatos e partidas com grandes públicos, esse número vai de 2.000 a 3.000. O estádio recebe cerca de 22 mil torcedores em jogos comuns e até 50 mil em partidas com maior importância. Intervenções. A BHTrans afirmou que a proibição do estacionamento de veículos pesados no entorno do estádio em dias de jogos melhorou o trânsito na área.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave