Mudança de trânsito na Floresta divide opiniões

Para pedestres, mão única na rua Itajubá poderá reduzir atropelamentos

iG Minas Gerais | Raíssa Pedrosa |

A partir desta sexta, a rua Itajubá, no trecho entre a rua Salinas e a avenida Silviano Brandão, na região Leste da capital, passa a operar em mão única. Com a modificação, motoristas que seguem a Silviano Brandão, sentido avenida dos Andradas, não poderão mais virar à direita na Itajubá. Agentes da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) vão estar nas vias para orientar pedestres e motoristas. Sinalizações no asfalto e semáforo para pedestres serão implantados.

A mudança agradou a moradora Marineide Simões. A comerciante, que já presenciou vários acidentes no local, acredita na melhora que a novidade pode trazer. “Aqui é muito perigoso porque o pedestre não tem tempo para atravessar. A gente tem que esperar o carro passar devagar para atravessar na frente dele”.

Guilherme Rocha, gerente de uma loja de utilidades no local, também já presenciou acidentes. Para ele, o semáforo de orientação ao pedestre vai ajudar. Outra moradora da região, Marisa Soares relatou que espera muito tempo para conseguir atravessar.

A mudança na Itajubá agradou A pedestres, mas o taxista Wellington Moreira acredita que uma intervenção maior, abrangendo outras partes da Silviano Brandão, seja mais eficaz. “Aqui está agarrado sempre”, diz.

Problemas. A BHTrans sugere ao motorista que deseja acessar a rua Salinas pegar a rua Jaime Gomes. Entretanto, mesmo sendo a opção mais provável de trajeto, a rua citada é estreita, opera em mão dupla e possui permissão para estacionamento nos dois lados.

Funcionários do Sindicato dos Professores da Rede Privada (Sinpro), que funciona na rua, temem piora de um problema que já existe. Diretora da entidade, Liliane Salum contou que enviou vários ofícios para a BHTrans pedindo para transformar a rua em mão única ou proibir o estacionamento. Já José Antônio da Silva, militar aposentado e morador da rua, também não gostou da novidade. “Vai bagunçar tudo. Aqui os motoristas já têm dificuldade, imagina aumentando o fluxo de carros. Tinha que ser mão única”, reclama.

A BHTrans informou que não há previsão de intervenções na rua Jaime Gomes, nem nos outros pontos do cruzamento com a avenida Silviano Brandão.

Orientação

Dados. Informações sobre essa e outras intervenções no trânsito podem ser obtidas na Central de Relacionamento da Prefeitura, pelo número 156, ou no portal www.bhtrans.pbh.gov.br

Detalhes Trecho. A continuação da rua Itajubá, do outro lado da Silviano Brandão, no bairro Sagrada Família, permanece mão dupla. O trecho também gera transtornos pelo grande fluxo de pedestres e veículos. Alternativa. Na tentativa de orientar pedestres, Zenilton Minucci, que trabalha em uma loja na esquina, já chegou a colocar uma placa feita à mão em um poste na rua, com os dizeres: “Atenção, pare, cuidado”.

Troco máximo nos ônibus da capital passa a ser de R$ 50 A BHTrans enviou nota nesta quinta informando que vai determinar o ajuste no valor máximo de troco para pagamento de passagens dentro dos coletivos da capital. As empresas têm até o dia 1º de dezembro para trocar os adesivos com a informação “troco máximo”, que passa a ser de R$ 50. Até nesta quinta, o valor era de R$ 20. A empresa orienta também que os passageiros, por medida de segurança, usem sempre cédulas menores dentro do ônibus. A autarquia informou ainda que orienta as empresas de ônibus que não impeçam os passageiros de seguir viagem por falta de troco. Ainda de acordo com a BHTrans, apenas um terço dos passageiros do sistema de transporte público de Belo Horizonte utiliza o pagamento em dinheiro. A maior parte paga a tarifa com cartão BHBus.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave