Advogado de Youssef nega extorsão em contratos com a Petrobras

Marcelo Leonardo, advogado do vice-presidente da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou que cliente depositou R$ 8 milhões em contas abertas em nome de empresas do doleiro

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O advogado Tracy Reinaldet negou nesta quinta-feira (20) que seu cliente, o doleiro Alberto Youssef, tenha extorquido executivos de empreiteiras em troca de contratos com a Petrobras.

Segundo o advogado Marcelo Leonardo, que defende o vice-presidente da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, seu cliente teve de depositar R$ 8 milhões em contas abertas em nome de empresas de Youssef. A propina seria necessária para "liberar" pagamentos aos quais a empreiteira teria direito por obras realizadas ou em andamento.

"Essa acusação [extorsão] nem existe formalmente contra o Youssef. Eu posso dizer que ele nunca fez extorsão contra ninguém. Quem conhece Alberto Youssef sabe que isso não é do feitio dele", disse Tracy. O advogado disse ter se reunido com o doleiro, na manhã desta quinta-feira (20), mas negou que ele tenha prestado depoimento. "Foi uma conversa dele com nossa equipe de defesa, sem a presença de delegados."

Mais cedo, a assessoria da PF informou que o doleiro e outros três executivos iriam prestar depoimento - os nomes dos escolhidos para depor não haviam sido informados. Estão detidos na PF de Curitiba 13 pessoas, entre eles os presidentes da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, e da UTC, Ricardo Pessoa, e o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque.

Todos eles estão sendo investigados na Operação Lava Jato, ação deflagrada em março e que já se estendeu por sete fases.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave