Conta de executivo tinha R$ 4,60

Ildefonso foi dirigente da empreiteira até 2012 e declarou à PF que recebia R$ 3 milhões por ano

iG Minas Gerais |

São Paulo. A primeira varredura da operação Lava Jato para bloquear fortunas atribuídas aos executivos das principais empreiteiras do país localizou a quantia de R$ 4,60 em uma conta de Ildefonso Colares Filho, ex-diretor da Queiroz Galvão, que foi solto na terça-feira após passar cinco dias preso na carceragem da PF em Curitiba.

Ildefonso foi dirigente da empreiteira até 2012 e declarou à PF que recebia R$ 3 milhões por ano. A informação sobre o saldo na conta do empresário consta de relatório do Banco Itaú encaminhado ao Banco Central, que recebeu ordens judiciais para embargar os ativos dos executivos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave