Em 2014, Instituto de Criminalística recebeu investimento de R$ 4,7 mi

Desta quantia, R$ 722 mil foram aplicados em custeio, englobando reformas e compra de materiais diversos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O Instituto de Criminalística recebeu R$ 4,7 milhões de investimento em 2014, conforme dados divulgados pela Polícia Civil de Minas Gerais. Desta quantia, R$ 722 mil foram aplicados em custeio, englobando reformas e compra de materiais diversos. Dos outros R$ 4,06 milhões, R$ 1,8 milhão foi destinado para aquisição de cinco cromatógrafos, R$ 1,05 milhão para a compra de dois microcomparadores balísticos e R$ 1,2 milhão para a aquisição de 62 sistemas de recuperação.

No último sábado (15), a refrigeração das informações biológicas foi interrompida devido a uma pane elétrica, que afetou o congelador do instituto. Como o laboratório não possui expediente durante o fim de semana, o problema só foi detectado nessa segunda-feira (17). Um procedimento investigatório foi instaurado nessa quarta (19) para apurar as causas da pane. A falha pode ter comprometido o armazenamento de aproximadamente 500 amostras de material genético relativas a 230 casos.

Nessa quarta (19), o diretor do Instituto de Criminalística, Marco Paiva, informou em entrevista coletiva que o órgão pediu uma adaptação na rede elétrica do congelador que sofreu pane no último fim de semana no dia 2 julho deste ano. Ele admitiu falhas estruturais no laboratório, que deveria ter um sistema mais moderno, com um gerador ou outro aparato que evitasse esse tipo de problema. Ainda de acordo com Paiva, a direção do Instituto vem pedindo modificações estruturais no imóvel há anos.

Inspeção sindical

Em nota, divulgada nesta quinta (20), o Sindpol informou que realizou uma inspeção sindical no Instituto de Criminalística em junho de 2012, atendendo à denúncia e solicitação de servidores policiais e administrativos da Polícia Civil acerca das más condições de trabalho, sobrecarga e riscos à saúde e à segurança do conjunto dos trabalhadores e do banco de dados. Após constatar inúmeras irregularidades, a direção do sindicato encaminhou em 3 de julho de 2012 uma solicitação de providências junto à Administração Superior da Polícia, Secretária de Defesa Social, Corpo de Bombeiros e demais autoridades.

Procurada pela reportagem de O TEMPO, a Polícia Civil informou que eventuais responsabilidades administrativas ou até mesmo criminais só serão apontadas após a conclusão do procedimento investigatório pela Corregedoria.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave