Meia Tchô contesta árbitro que o expulsou no jogo com o Luverdense

Jogador garante que não teve intenção de chutar a bola no árbitro e que não é de falar palavras de baixo calão

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Vetado pelo Departamento Médico, Tchô, um dos destaques do América, não irá atuar
CARLOS CRUZ/AMÉRICA
Vetado pelo Departamento Médico, Tchô, um dos destaques do América, não irá atuar

Expulso na partida do América contra o Luverdense, o meia Tchô mostrou indignação com o árbitro paulista Flávio Rodrigues Guerra, que relatou na súmula que ele teria chutado a bola intencionalmente na sua direção e ainda o ofendido com palavrões. “Quem me conhece sabe que não falaria aquelas palavras de baixo calão que ele colocou na súmula. Sou um homem cristão, não falo palavrões”, afirmou o jogador americano.

Tchô explicou que chutou a bola para longe da área por insatisfação com a marcação da penalidade. Porém, sem qualquer intenção de atingir alguém, muito menos o árbitro. “Depois do pênalti infeliz que ele marcou, eu fiquei revoltado com a decisão de dar o pênalti. A bola veio em minha direção e realmente a chutei como forma de reclamação, mas de maneira nenhuma querendo acertar nele”, destacou o meia, que se diz injustiçado por ter levado o cartão vermelho.

O meia americano  terá de cumprir suspensão automática no jogo deste sábado, em Campinas, contra a Ponte Preta. Se a Procuradoria-Geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) oferecer denúncia contra o atleta, ele pode pegar de dois a seis jogos de suspensão. “Claro que preocupa uma punição. Eu quero participar do último jogo do América com o Sampaio Corrêa, porque a chance de acesso poderá ser real”, declarou Tchô.