Amigos se unem e refazem homenagem ao menino Bernardo

Médico Leandro Boldrini, pai de Bernardo, e Graciele Ugulini, a madrasta, estão presos desde abril; eles são suspeitos de matar o menino

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A morte de Bernardo Boldrini, de 11 anos, choca o país
ESTADÃO CONTEÚDO
A morte de Bernardo Boldrini, de 11 anos, choca o país

 Um grupo de amigos se mobilizou no final da tarde de quarta-feira (19) para refazer as homenagens ao menino Bernardo Boldrini, assassinado aos 11 anos de idade em abril deste ano no interior do Rio Grande do Sul.

Cartazes e flores colocados em frente à casa da família em Três Passos (a 389 km de Porto Alegre) desde a morte da criança foram retirados por pessoas desconhecidas e jogados na manhã de quarta-feira, o que provocou indignação nas redes sociais, principalmente entre integrantes de grupos que acompanham o caso e fazem campanha a favor da punição dos suspeitos do crime.

Mobilizados, os moradores que acompanham o processo se reuniram e foram até a residência para refazer as homenagens.

"Vamos pessoal, vamos colocar mais flores e cartazes naquela casa do terror", pediu um dos integrantes do grupo formado para que Bernardo não seja esquecido.

Juçara Petry, a moradora de Três Passos que costumava abrigar a criança em sua casa, viu os estragos quando foi fazer a manutenção semanal. Depois, publicou em sua página numa rede social fotos dos cartazes e flores recolocados em frente à casa.

O médico Leandro Boldrini, pai de Bernardo, e Graciele Ugulini, a madrasta, estão presos desde abril. Eles são suspeitos de matar o menino, cujo corpo foi encontrado enterrado num terreno em Frederico Westphalen, cidade próxima a Três Passos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave