Madura após gravidez, Jaque revela prioridades além do vôlei

Chegada do filho Arthur e formação de família transformou a nova jogadora do Camponesa-Minas

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Filho do casal pode nascer a qualquer momento, segundo Jaque
Instagram/Reprodução
Filho do casal pode nascer a qualquer momento, segundo Jaque

 

A distância para o filho será algo constante para a ponta Jaqueline, que deixou o primogênito e o marido Murilo em São Paulo para defender o Camponesa-Minas. No entanto, a experiência da gravidez e os aprendizados que teve nos 11 meses do pequeno Arthur são maiores do que qualquer saudade ou tempo longe de quem ama.

Ter os dois como motivação para dar seu melhor dentro de quadra, sem deixar de contar as horas para tê-los ao seu lado, é um pensamento que não sai da cabeça da pernambucana.

"Se eu soubesse que ser mãe era tão bom, que eu cresceria tanto como pessoa, tinha engravidado antes. A maternidade transforma a gente em alguém melhor", brinca Jaque.

Antes focada somente no vôlei, hoje ela possui outras prioridades, sempre tendo a família no posto mais alto. "Minha cabeça vai além do esporte. Hoje tenho um marido e um filho, uma família maravilhosa", agradece.

Mesmo sabendo das dificuldades que tinha em conseguir um time, principalmente depois dos times de maior investimento terem fechado seus elencos, Jaque nunca deixou de acreditar que seu futuro breve continuaria sendo dentro de quadra. "Sabia que ia seguir jogando, só não imaginava que seria no Minas, um lugar que abriu as portas para mim, com uma estrutura e pessoas diferenciadas", indica.