Ferrari confirma a saída de Alonso e a chegada de Vettel

O espanhol disputou a F1 com a equipe durante quatro temporadas e deve assinar contrato com a McLaren

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O espanhol estreou na Fórmula 1 em 2001, com 20 anos, correndo pela equipe Minardi-European. Em 2005, o piloto conquistou o seu primeiro título, pela Renault, se tornando o campeão mais jovem da F1. O feito foi batido por Lewis Hamilton em 2008. Alonso voltou a ser campeão em 2006, também pela Renault
Divulgação/ Facebook Ferrari
O espanhol estreou na Fórmula 1 em 2001, com 20 anos, correndo pela equipe Minardi-European. Em 2005, o piloto conquistou o seu primeiro título, pela Renault, se tornando o campeão mais jovem da F1. O feito foi batido por Lewis Hamilton em 2008. Alonso voltou a ser campeão em 2006, também pela Renault

A temporada deste ano da Formula 1 ainda não se encerrou e algumas equipes já decidiram trocar de pilotos visando a disputa do próximo ano. Depois  que a Sauber e a Toro Rosso anunciaram seus novos corredores, foi a vez da Ferrari oficializar as mudanças na equipe. A escuderia italiana divulgou um comunicado oficial na  manhã desta quinta-feira, afirmando que o seu principal corredor, o espanhol Fernando Alonso deixará o time e Sebastian Vettel, da Red Rull Racing (RBR) irá substituí-lo.

Desde agosto deste ano, surgiram diversas especulações sobre a possibilidade de Alonso deixar a Ferrari, já que o piloto estaria insatisfeito com a equipe italiana e o seu desempenho nas pistas também não estava agradando o time de Maranello. Nesta temporada, o espanhol não conseguiu nenhum pódio nas 18 corridas que já aconteceram e está em quinto lugar no Mundial de Pilotos, com 157 pontos. Além disso, havia um forte rumor de que o bicampeão voltaria a vestir o macacão da McLaren em 2015.

Ainda, a ruptura do casamento entre Alonso e a Ferrari ficou mais evidente quando o time decidiu trocar de comando em setembro. O então presidente, Luca di Montizemolo – que comandou o time por 23 anos – era fã incondicional do piloto espanhol e garantia a permanência de Alonso na equipe para o ano que vem. Porém, o mandatário foi substituído por Sergio Marchionne, presidente do Grupo Fiat e que chegou com a proposta de reformular todo o planejamento da equipe no Mundial da próxima temporada.

Mesmo com a saída conturbada, a escuderia italiana fez questão de agradecer ao piloto os feitos durante esses quatro anos que correu pela equipe. “No hall da fama da escuderia Ferrari, Fernando Alonso sempre será um dos grandes pilotos e irá ocupar um lugar especial. Nós lhe oferecemos os nossos sinceros agradecimentos para o que tem sido uma aventura extraordinária com a escuderia, quando nos últimos cinco anos, ele esteve perto de vencer por duas vezes, o campeonato mundial. Estou certo de que um grande piloto como Fernando terá sempre o querido “Cavalo Saltitante” (símbolo da escuderia) em seu coração e espero também que os fãs da Ferrari vão continuar a mantê-lo em alta, mesmo com os seus futuros empreendimentos,” afirmou o chefe do time, Marco Mattiaci.

Alonso chegou à Ferrari em 2010 e nesse período que ficou em Maranello somou 1.186 pontos, conquistando 44 pódios e 11 vitórias. Correndo pelo time mais famoso da Fórmula 1, o espanhol quase faturou dois títulos perdendo o campeonato em 2010 e 2012, para o seu substituto, Sebastian Vettel.  

Leia tudo sobre: fernando alonsoferrarisebastian vettelformula 1