Emissão de gases-estufa no Brasil cresce 7,8% em 2013

Dados do Observatório do Clima indicam aumento do desmatamento como principal causa

iG Minas Gerais |

Poluição. 

Desmatamento das florestas brasileiras é apontado como principal causa do aumento do índice
Andre Penner
Poluição. Desmatamento das florestas brasileiras é apontado como principal causa do aumento do índice

São Paulo. A contribuição do Brasil para o aquecimento global avançou 7,8% em 2013. É o primeiro aumento na poluição do carbono desde 2005. Em 2012, havia sido registrada uma queda de 4,7% nas emissões, de acordo com dados divulgados nesta quarta pelo Sistema de Estimativa de Emissões de Gases do Efeito Estufa (Seeg), mantido pelo Observatório do Clima. A maior responsabilidade no mau resultado cabe às mudanças no uso do solo, cuja principal causa é o desmatamento (veja o infográfico). Essa rubrica registrou salto de 16,4%.  

Energia e transportes também participaram com uma parcela considerável na piora do indicador. Graças sobretudo ao maior acionamento de usinas termelétricas alimentadas com combustíveis fósseis e ao consumo de gasolina e diesel, o setor teve 7,3% de incremento na produção de gases que realimentam o efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2). Houve alta ainda no lançamento de gases-estufa provenientes da agropecuária (27%), processos industriais (6%) e resíduos (3%).

De acordo com Tasso Azevedo, coordenador técnico do Seeg, a perspectiva para os setores, que incluem agropecuária, energia, desmatamento, indústria e resíduos (lixo e esgoto), é crescimento na emissão de gases nos próximos anos.

Desmatamento. As emissões brasileiras caíram 41,1% de 2005 a 2012 graças à redução acelerada das taxas de desmatamento na Amazônia. O governo ainda não divulgou dados referentes a 2013, mas relatórios extraoficiais indicam uma alta da devastação da floresta.

O levantamento não oficial do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), de Belém, por exemplo, apontou que houve uma alta de 467% na devastação da floresta na comparação entre outubro de 2013 e o mesmo mês de 2014.

Diante das especulações sobre isso, a ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente) negou nesta quarta que o desmatamento na floresta amazônica possa ser o responsável pelo aumento de emissões de carbono do país em 2013.

Questionada se esse avanço estaria relacionado ao aumento do desmatamento, a ministra respondeu: “Não. Ao contrário, porque nós temos as menores taxas de desmatamento nos últimos quatro anos”, afirmou após uma reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), no qual ela fez um balanço de seus quatro anos no ministério. Teixeira ainda voltou a negar que o governo tenha segurado os dados de desmatamento da Amazônia por motivos eleitorais.

Campeões

Emissão. O Estado que mais contribuiu para a emissão de gases no ano passado foi o Pará, seguido por Mato Grosso, devido ao desmatamento e à atividade agropecuária.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave