Indicação em secretaria opõe deputada e prefeito

Margarida Salomão quer indicar ex-reitor da UFJF para a Ciência e Tecnologia; Gilmar Machado quer outro nome

iG Minas Gerais | Do Aparte |

Renê Matos, ao lado de Julio Chebli, reitor da UFJF, e Margarida Salomão
Reprodução/Facebook
Renê Matos, ao lado de Julio Chebli, reitor da UFJF, e Margarida Salomão
O comando da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no futuro governo de Fernando Pimentel (PT) é tema de embate entre o prefeito de Uberlândia, Gilmar Machado, e a deputada federal Margarida Salomão. Ambos são da mesma tendência dentro do partido e brigam para indicar o titular da pasta na próxima gestão. Na divisão de cargos rascunhada para o futuro governo, a “Democracia Socialista” terá direito ao posto e, por isso, um dos dois corre o risco de ficar sem nenhum indicado no primeiro escalão. De acordo com fontes ouvidas pelo Aparte, o governador eleito convidou Margarida Salomão para o comando da secretaria. Ela teria recusado o cargo, preferindo permanecer como deputada federal, função para a qual foi reeleita na disputa de 2014. No entanto, faz questão de indicar um nome de seu grupo. O escolhido é o ex-reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Renê Matos. Ele foi o antecessor de Margarida, comandando a universidade entre os anos de 1994 e 1998.  Renê Matos tentou a carreira política ao deixar a UFJF, sendo candidato a prefeito de Juiz de Fora nas eleições 2000, pelo PSB. Acabou ficando em terceiro, atrás de Tarcísio Delgado e de Alberto Bejani. Hoje no PT, Renê participou ativamente dos eventos de campanha de Dilma Rousseff e Pimentel, ao lado de Margarida. Há alguns dias, deixou seu cargo na faculdade de Farmácia da UFJF, aposentando-se após 40 anos na função de professor. Só não será o secretário se Gilmar Machado ganhar o duelo interno para indicar alguém.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave