Alemães armam ‘pegadinha’ contra neonazistas

Moradores e comerciantes doaram € 10 mil a instituição graças à participação do grupo

iG Minas Gerais | Da Redação |

Neonazistas foram surpreendidos por brincadeira em marcha
YOUTUBE / REPRODUÇÃO
Neonazistas foram surpreendidos por brincadeira em marcha

A pequena cidade alemã de Wunsiedel é, anualmente, o destino de centenas de neonazistas. Os encontros acontecem há cerca de duas décadas, e o município foi escolhido porque é lá que Rudolf Hess, antigo secretário de Adolf Hitler e um dos líderes do Partido Nazista, foi enterrado.

A peregrinação, contudo, nunca agradou os cerca de 9.000 moradores, que já fizeram protestos e até entraram na Justiça para tentar impedir a realização dos encontros.

Cansados de lutar e não ter o pedido atendido, os cidadãos de Wunsiedel resolveram fazer uma espécie de pegadinha com os neonazistas neste ano. Quando o grupo chegou à cidade, encontrou marcas, semelhantes às de pistas de corrida. Só que, em vez de distâncias, elas indicavam valores em euros. Para cada metro que os fanáticos avançassem, lojas e moradores doariam certa quantia em dinheiro para uma organização que ampara militantes que desejam abandonar organizações extremistas. Na metade do percurso, uma mensagem pintada no chão dizia “Obrigado pelos € 5.000”.

Mesmo estranhando a ação e sem entender direito o que acontecia, os neonazistas continuaram sua marcha e, ao fim do percurso, contribuíram, sem saber, para a arrecadação de € 10 mil. “Eles provavelmente não irão embora. A história da cidade é muito importante para eles, mas pelo menos nós conseguimos criar algo bom em cima disso”, disse à imprensa alemã Fabian Wichmann, um pesquisador ligado à Exit-Deutschland.

Para desestimular a reunião anual de neonazistas na cidade, que também atrai fanáticos de fora da Alemanha, o corpo de Hess foi exumado em 2011, e a lápide, destruída.

O corpo foi incinerado, e as cinzas do ex-secretário de Adolf Hitler foram jogadas no mar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave