Com choro de felicidade, Jaque é apresentada no Minas

Jogadora deixou filho e marido em São Paulo para vestir a camisa de um dos clubes mais tradicionais do país

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Esportes - Belo Horizonte - MG
Apresentacao da atleta de volei Jaqueline , que acaba de ser contratada pelo Minas Tenis Clube

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 19.11.2014
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte - MG Apresentacao da atleta de volei Jaqueline , que acaba de ser contratada pelo Minas Tenis Clube FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO - 19.11.2014

 

Nada de Japão, moda ou Pinheiros. O destino da ponta Jaqueline, bicampeã olímpica com a seleção brasileira feminina de vôlei, foi Camponesa-Minas Na apresentação que aconteceu nesta quarta-feira, ela não escondeu a emoção e repetiu várias vezes que quer retribuir todo o esforço que o clube fez para tê-la no elenco na temporada 2014/2015. O choro acabou saindo, não só para ela como também para o presidente Luiz Gustavo Lage, que trocaram um forte abraço ao final da coletiva.

O Minas parece já ter conquistado um espaço no coração da jogadora. Poucos nomes que passaram pela seleção não vestiram a camisa do time. Alguns dos raros exemplos são Ana Moser e Paula Pequeno. Difícil será lembrar de uma referência da modalidade que não tenha usufruído de todas as coisas boas que o clube, a cidade e o vôlei mineiro propiciam.

Antes de acertar com o Minas, Jaque recebeu proposta do Oriente e do clube paulista. Ela tinha, também, a opção de se distanciar do vôlei temporariamente para se dedicar à moda.

"O Minas abriu as portas para mim e acreditou no meu trabalho. Estou muito empolgada e não escondo que quero jogar logo. O objetivo tem que ser o título Mas, agora, é bom dar uma freada nesta ansiedade. Nunca tive uma recepção como esta na vida. A estrutura do clube pesou demais na minha decisão. Só tenho a agradecer aos patrocinadores por tudo que fizeram. Agora é focar no ganho de musculatura", comenta a jogadora. Sua estreia ainda deve demorar algumas rodadas. Na terça-feira, no jogo contra o Rexona-Ades-RJ, em casa, Jaqueline será apresentada à nova torcida.

O Minas, que já tinha um acordo pré-estabelecido com seus parceiros, teve que reformular os contratos para que maiores recursos fossem disponibilizados, propiciando a vinda de Jaqueline. "O presidente teve influência direta nisso. Ele assumiu, pessoalmente, a frente de toda a situação, fez contato com os responsáveis e comandou as ações para este acordo. A Jaque está muito feliz e isso é fácil de ser percebido", indica a gerente do vôlei feminino Patrícia Axer.

Axer foi a primeira a fazer contato com Jaque, representando o Minas. "Nossas conversas começaram antes mesmo do Mundial. Ela se mostrou aberta e o fato de jogar em uma cidade nunca foi empecilho. Ela deixou claro que sua família estava aberta para ouvir o que tínhamos para oferecer. O Minas viu, nesse contato, uma boa oportunidade de divulgar o nome de alguma empresa parceira. Fico feliz de tudo ter dado certo, será bom para todos. Este ano de 2014 foi complicado, com Copa do Mundo e eleições. Muitos dos recursos de empresas já estavam fechados também", lembra.

As conversas entre as duas foram elogiadas por Jaqueline. "Desde o primeiro contato, senti muita firmeza no Minas e no que ele tinha para oferecer.

Câmeras pela casa para 'vigiar' o filho

O sorriso da jogadora transbordava alegria. Ele não conseguia esconder a felicidade de encontrar um clube, mesmo sendo em uma cidade que a forçará a ficar longe do filho Arthur, de onze meses e do marido Murilo, que atua pelo Sesi-SP. "O Murilo foi o primeiro a me dar força para vir. Ele vai ficar em São Paulo, mas virei com tudo para BH. O mais importante é que vou fazer o que gosto. As duas cidades são próximas, não vou ter muitas dificuldades para estar ao lado deles", mostra.

Para diminuir a saudade de Arthur, Jaque usa uma tática que deu certo durante o Mundial da Itália, disputado em outubro. "Eu coloquei câmaras por toda a casa. Assim, consigo acompanhar o que ele está fazendo a todo momento. Isso está sendo muito bom porque consigo ter esse acesso a qualquer hora", admite.

Ela e Murilo dividem os cuidados do pequeno. "O pai também merece estar ao lado do filho. A gente está em uma espécie de guarda compartilhada.", descontrai.

Jaqueline tomou a decisão principalmente depois de dividir quarto com a ex-companheira de seleção Fabíola. "Ela tinha acabado de ganhar o bebê e eu a via muito aflita, pela distância e saudade. Eu ficava imaginando se sofreria assim também. Esta solução das câmaras foi muito boa, até pelo longo período que eu tive que ficar longe de casa", aponta Jaque.

Moda ficou para depois

Sabendo que a possibilidade de não atuar nesta temporada era real, Jaque já começou a pensar em um plano B. O tempo sem clube foi de uma temporada e meia, período que a fez refletir bastante sobre o seu futuro. O técnico da seleção feminina, José Roberto Guimarães, após o Mundial, chegou a mostrar interesse em treinar a jogadora de forma separada, para que ela não perdesse o ritmo conquistado durante o torneio.

Uma opção ainda viva na cabeça de Jaque é a moda. "Gosto muito dessa área . Admiro, leio, acompanho e sou uma fã. Tenho o sonho de ter uma marca de roupas minha, mas isso vai ficar para depois. Se fosse por agora, teria que colocar alguém de confiança e conhecimento para tomar a frente do projeto. No futuro, é uma coisa que quero me dedicar", salienta.

Carinho, fotos e dicas para fãs

Após a coletiva, Jaqueline fez questão de dar atenção a alguns torcedores que estiveram na Arena Minas. Um deles foi o ponta Vinícius dos Santos, do time infanto do Minas, de apenas 18 anos. Sabendo que a oportunidade era rara, ele não tardou em pedir dicas para a jogadora.

"Perguntei muito sobre o passe e ataque. Ela me orientou a priorizar a técnica de defesa, uma de suas especialidades. Desta forma, a parte ofensiva vai sair melhor. Já treinei algumas vezes com o time feminino e agora posso ter a chance de estar ao lado dela dentro da quadra. Não é todo dia que isso acontece. Não vejo a hora deste momento", afirma.