Mais de 10 mil remédios para parkinson são abandonados em BH

Carga pertence à Fundação Oswaldo Cruz, uma das principais do Rio de Janeiro; material foi roubado no início deste mês

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Caixas foram encontradas no bairro Ribeiro de Abreu
Polícia Civil / Divulgação
Caixas foram encontradas no bairro Ribeiro de Abreu

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga a origem de uma carga de remédio abandonada no bairro Ribeiro de Abreu, na região Nordeste de Belo Horizonte. Cerca de 10.420 caixas de medicamento, sendo 10.300 para tratar a doença de parkinson, foram localizadas às margens da Estrada do Sanatório. Em entrevista para O TEMPO, nessa quarta-feira (19), o delegado que está à frente das investigações afirmou que os comprimidos podem pertence a uma fundação do Rio de Janeiro.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, o homem que solicitou a viatura contou que passava pela região quando encontrou a mercadoria.  Os militares apreenderam os produtos e encaminharam à 4ª Delegacia de Polícia Civil de Venda Nova.

“Além de remédios para parkinson, comprimidos para tratamento de asma e anticoncepcionais foram encontrados. Algumas caixas estavam abertas, mas, a princípio, não houve manuseamento das pílulas”, contou o delegado Rafael Alexandre de Faria.

O material encontrado nessa terça pode fazer parte de uma carga roubado no início do mês em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, e pertence à Fundação Oswaldo Cruz, uma das principais do Rio de Janeiro.

“Entramos em contato com uma equipe de lá e eles já estão em Belo Horizonte. Após verificar a documentação, a mercadoria será entregue a eles”, explicou Faria.

O delegado ainda investiga como as caixas teriam sido desviadas e tenta localizar os suspeitos do crime.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave