PM pretende usar passarela para acesso dos atleticanos

Polícia afirma que torcida alvinegra não terá contato com os cruzeirenses antes da partida

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Segurança. Para o segundo jogo da final da Copa do Brasil, a polícia militar está preparando um esquema especial para proteger os torcedores de possíveis confrontos na chegada para o Mineirão
Lucia Sebe/ Imprensa MG
Segurança. Para o segundo jogo da final da Copa do Brasil, a polícia militar está preparando um esquema especial para proteger os torcedores de possíveis confrontos na chegada para o Mineirão

Uma reunião hoje à tarde na sede da Federação Mineira de Futebol (FMF) define os detalhes de venda de ingressos, segurança e trânsito para o clássico decisivo da final da Copa do Brasil, no dia 26. A Polícia Militar (PM), no entanto, já tem seu planejamento arquitetado, dependendo essencialmente da confirmação de qual portão o torcedor atleticano – que estará em minoria – acessará o Mineirão.

Segundo o chefe do Comando de Policiamento Especializado (CPE), coronel Ricardo Machado, a intenção é repetir o esquema adotado com as torcidas visitantes de Corinthians e Flamengo nos jogos contra o Galo na Copa do Brasil. Nessas duas ocasiões, flamenguistas e corintianos se concentraram no Mineirinho antes das partidas e entraram no estádio utilizando a passarela que liga o ginásio ao Mineirão, evitando o contato com a torcida rival.

A torcida do Atlético fica tradicionalmente concentrada na avenida das Palmeiras (ao lado do Mineirinho), que terá um isolamento na esquina com a avenida Abrahão Caram. “Precisamos ainda definir por qual entrada o atleticano vai acessar o local (Mineirinho), até porque precisamos conversar com a administração, já que o espaço é usado para estacionamento”, ressaltou Machado.

Separação. Para evitar que atleticanos atirem objetos na torcida do Cruzeiro que esteja passando pela avenida Abrahão Caram, a PM fará revistas ainda no Mineirinho, além de colocar homens ao longo do trajeto. Já na esplanada, os atleticanos não terão contato visual com os cruzeirenses, já que tapumes de alumínio farão o isolamento.

A exemplo do que acontece com a torcida visitante no Itaquerão, em São Paulo, a polícia mineira estuda colocar paredes também na arquibancada, evitando a visualização entre os torcedores mais próximos da divisão de segurança. A colocação dos obstáculos, no entanto, depende da avaliação do Corpo de Bombeiros e da administradora Minas Arena.

No último clássico no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, com 10% da torcida do Atlético, houve incidentes, como a tentativa de invasão do espaço do rival. A polícia precisou usar bombas de efeito moral. A confusão foi relatada pelo árbitro da partida. Os times foram julgados pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva e apenados com a perda de um mando de campo. Os clubes conseguiram efeito suspensivo até a marcação de um novo julgamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave