Meta de produção é reduzida

Mesmo abaixo do projetado, total de petróleo retirado pela estatal no terceiro trimestre é recorde

iG Minas Gerais |

Quase tudo pronto. Navio-plataforma Cidade de Ilhabela está prestes a obter a licença definitiva, o que vai aumentar a capacidade de produção da Petrobras no país
Agência Petrobras
Quase tudo pronto. Navio-plataforma Cidade de Ilhabela está prestes a obter a licença definitiva, o que vai aumentar a capacidade de produção da Petrobras no país

RIO DE JANEIRO. A Petrobras reduziu a meta de crescimento de produção para este ano. O diretor de Exploração & Produção (E&P), José Miranda Formigli, disse ontem que a estatal prevê aumentar sua produção entre 5,5% e 6% neste ano. O número é menor que os 7,5% projetados até o segundo trimestre deste ano. Entre julho e setembro, a estatal produziu em média 2,090 milhões de barris por dia.

“A produção abaixo da meta ocorre pelo atraso na entrega de plataformas próprias e necessidade de obras a bordo, atrasos no processo de licenciamentos e atrasos na interligação de poços”, disse o diretor, em teleconferência com analistas, citando que está para sair a licença definitiva do navio-plataforma (FPSO) Cidade de Ilhabela. Interligação é o procedimento que leva o óleo retirado do reservatório à plataforma de produção, e que requer equipamentos específicos. Também foi citada a necessidade de maior injeção de água para recuperar óleo do fundo dos reservatórios com poços antigos.

Produção. Mesmo com todos esses percalços, a produção de petróleo da Petrobras no Brasil, no terceiro trimestre, é recorde. Atingiu a média de 2,090 milhões de barris por dia, 9% acima do mesmo período de 2013, segundo comunicado divulgado pela estatal ontem. O volume representa um recorde histórico, acima do recorde anterior, registrado em dezembro de 2010.

De acordo com a empresa, o avanço se deve, principalmente, ao aumento da produção das plataformas P-58, P-55, P-62 e da plataforma do tipo FPSO Cidade de Paraty, além do início dos testes de longa duração de Iara Oeste e Tartaruga Verde. Segundo a empresa, o crescimento da produção, ainda que abaixo da meta, teve impacto ainda do replanejamento das paradas programadas (para manutenção, por exemplo) e melhorias da eficiência operacional. A projeção da empresa é aumentar em 82% a exportação de petróleo no segundo semestre deste ano.

 

Em alta

Crescimento. Outubro foi o nono mês consecutivo de crescimento da produção de petróleo da companhia no país. Já a produção de gás natural cresceu 7% em relação ao trimestre anterior.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave