Para garantir 'cumprimento das leis', Petrobras cria sétima diretoria

Anúncio foi feito nesta segunda-feira pela presidente da estatal, Maria das Graças Foster

iG Minas Gerais | Folhapress |

Graça Foster admite que refinaria Abreu e Lima foi um “erro”
Wilson Dias/ABr 14.5.2013
Graça Foster admite que refinaria Abreu e Lima foi um “erro”

A Presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, anunciou que a empresa terá uma nova diretoria, para assegurar o "cumprimento de leis e regulamentos internos e externos".

A nova diretoria, a sétima, teve sua criação aprovada na sexta-feira (14), em reunião do conselho de administração da companhia.

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (17), durante a teleconferência de apresentação de resultados operacionais da companhia no terceiro trimestre. A empresa não vai divulgar o balanço contábil do período, que ainda não foi assinado pelos auditores externos independentes, como exige a lei.

"Nós mitigaremos riscos assegurando, pela companhia, o cumprimento das leis e regulamentos externos e internos. O respeito técnico é uma conquista de muitos anos. Gostaria de ressaltar a importância que é ter uma diretoria de governança, porque queremos mais que o reconhecimento técnico que conquistamos. Nós queremos também o respeito pela governança da nossa companhia, a Petrobras", disse Graça.

A presidente não anunciou quem vai ser o titular da nova diretoria. A empresa tem também as diretorias de Exploração e Produção, Abastecimento, Gás e Energia, Engenharia, Serviços e Internacional.

Balanço

O anúncio ocorre após a Petrobras adiar a divulgação do balanço do terceiro trimestre na semana passada.

A estatal deveria ter publicado todas as informações até a última sexta-feira (14), como determina a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas adiou porque a auditoria responsável por assinar suas demonstrações, a PwC, recusou-se a fazê-lo, devido a denúncias de corrupção na estatal. A auditora está à espera de informações que permitam avaliar o impacto das denúncias no patrimônio da empresa.

Para tentar atenuar o impacto da crise criada pelo adiamento da divulgação do balanço, a Petrobras antecipou, em anúncio de página dupla publicado em jornais neste sábado (15) e domingo (16), o fornecimento de dados sobre seu desempenho operacional. Aproveitou para esclarecer as providências tomadas para apurar as denúncias de corrupção levantadas na Operação Lava Jato.

Na sexta-feira (14), a empresa havia informado que apresentaria informações em teleconferência para analistas e investidores nesta segunda-feira (17) pela manhã. No entanto, no evento não foram fornecidos dados financeiros, como patrimônio, receita, lucro e dívida.

Leia tudo sobre: Graça FosterPetrobrasLava Jato