Liberdade a executivos presos na Lava Jato é negada pelo STJ

Decisão do desembargador ainda não foi oficializada no sistema do STJ, mas ainda deve ser registrada ainda nesta segunda-feira; após ser feito o registro no sistema defesa poderá recorrer ao STF para tentar a soltura

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Os pedidos de liberdade de cinco presos pela nova etapa da Operação Lava Jato foram rejeitados pelo desembargador Newton Trisotto, convocado para atuar como ministro interino do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Todos os presos são executivos e funcionários da Construtora OAS. As solicitações de habeas corpus foram protocoladas no último domingo (16).

No sábado (15), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), já havia negado o pedido de soltura dos cinco suspeitos de envolvimento no esquema de lavajem de dinheiro e pagamento de propina.

A decisão do desembargador não foi oficializada no sistema do STJ, mas deve ser registrada ainda nesta segunda-feira (17). Só após ser feito o registro é que a defesa poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar a soltura.

Leia tudo sobre: CrimeOperação Lava JatoEconomiaCorrupçãoPropinaBrasilPolíticaSTJSTFhabeas corpus