G-20 garante plano para elevar PIB

Expectativa é aumentar crescimento global em mais de US$ 2 trilhões nos próximos cinco anos

iG Minas Gerais |

Cúpula. Líderes das 20 maiores economias do mundo encerraram ontem encontro realizado na Austrália
Pablo Martinez Monsivais/AP Photo
Cúpula. Líderes das 20 maiores economias do mundo encerraram ontem encontro realizado na Austrália

Brisbane, Austrália. Os líderes das nações que integram o G-20 anunciaram neste domingo os planos para aumentar o crescimento global em mais de US$ 2 trilhões nos próximos cinco anos. Caso as metas sejam cumpridas, estima-se que o Produto Interno Bruto (PIB) global seja ampliado em 2,1% até 2018 e que milhões de empregos sejam criados.

Os países, que representam 85% da economia mundial, se comprometeram a cumprir 800 novas medidas, que incluem a criação de um centro de infraestrutura para ajudar potenciais investidores a executarem seus projetos e estímulos ao comércio global.

Em comunicado, os participantes do encontro, que acabou neste domingo, também disseram pretendem reduzir a lacuna entre a participação de homens e mulheres no mercado de trabalho em 25% até 2025. A medida tem por objetivo permitir que mais cem milhões de mulheres sejam empregadas e que, com isso, a pobreza no mundo se reduza.

O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse em um pronunciamento no fim do encontro que os países do G-20 irão se policiar para o cumprimento dos objetivos a fim de estimular o crescimento. Entidades internacionais também irão monitorar a implementação do plano.

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, rejeitou as preocupações de que os países podem falsificar seus dados de crescimento. Ela justifica que o monitoramento realizado pelo FMI não é científico, mas se trata de um processo bastante detalhado.

Especialistas avaliam que todos os países deverão seguir cada uma das medidas para chegar ao incremento de 2,1% no PIB mundial – algo quase impossível, dadas as dificuldades que irão enfrentar para levar a cabo algumas das reformas em seus países. “Existem dois questionamentos: se as medidas em específico são críveis e se a defesa política feita pelos líderes será convincente”, afirmou Thomas Bernes, analista do Centro Internacional para a Inovação em Governança.

Polêmica

Rússia. O presidente russo, Vladimir Putin, deixou o G-20 antes que a discussão sobre a situação na Ucrânia fosse iniciada, mas negou que críticas tenham sido o motivo.

Ministro exalta retomada da credibilidade Brisbane. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, acredita que a recomposição da credibilidade da equipe econômica virá com o tempo, assim que as medidas que estão em gestação começarem a fazer efeito. “A credibilidade virá a partir dos resultados. O que vamos apresentar são medidas bastante críveis e factíveis”, disse neste domingo, em entrevista durante o G-20. Questionado sobre a importância da escolha do sucessor para a retomada da credibilidade, Mantega minimizou o nome que será anunciado por Dilma Rousseff. Ele ainda negou a hipótese de uma “mudança radical de rumo” da economia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave