Aumento do FPM não vai ser suficiente

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), José Fortunati (PDT), prefeito de Porto Alegre, defendeu a renegociação das dívidas

iG Minas Gerais |

BRASÍLIA. Apesar da expectativa de baixo crescimento econômico, os prefeitos comemoram duas medidas aprovadas pelo Congresso recentemente: a renegociação das dívidas com a União e o aumento do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).  

Na avaliação do presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Toninho Andrada, o aumento de 1 ponto percentual no repasse do FPM, aprovado no mês passado, é “uma boa notícia”, mas é “pequeno”. Segundo ele, 600 dos 853 municípios mineiros dependem majoritariamente dos repasses do FPM.

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), José Fortunati (PDT), prefeito de Porto Alegre, defendeu a renegociação das dívidas. Já para Fernando Haddad (PT), prefeito de São Paulo, a medida “não é um benefício, é uma reparação”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave