Oliveira 'esquece' Copa do Brasil e pede foco somente no Brasileirão

Treinador também explicou cobrança no vestiário, após atuação ruim do time na primeira etapa

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Marcelo Oliveira aproveitou o jogo com cara de treino para testar vários reservas
douglas magno
Marcelo Oliveira aproveitou o jogo com cara de treino para testar vários reservas

O técnico Marcelo Oliveira quer o time ligado apenas no Campeonato Brasileiro. Pelo menos até o dia 26 de novembro, data da partida de volta contra o Atlético, o assunto Copa do Brasil fica em segundo plano na Toca da Raposa II.

 

Após a vitória sobre o Santos por 1 a 0, o treinador celeste afirmou que o grupo deve ter concentração total para seguir firme a caminhada pelo tetracampeonato. 

“Eu não quero pensar muito nisso (jogo contra o Atlético), porque a gente acaba perdendo a concentração em uma competição que estamos jogando bem há mais de sete meses. Precisamos estar concentrados exclusivamente no Campeonato Brasileiro, sabendo que tem mais dificuldades pela frente. No dia 26, na semana do jogo, a gente muda o chip, mas sabemos que dá para pensar nas duas competições”, disse Marcelo. O Cruzeiro está em desvantagem na final da Copa do Brasil, já que perdeu para o arquirrival por 2 a 0, no último dia 12. 

Além de não pensar no jogo de volta pela final da Copa do Brasil, o técnico celeste não se diz preocupado com o São Paulo, vice-líder do Campeonato.

“Acho que a gente estressa muito por causa dos jogos. São  sempre equilibrados. Não pensamos muito nos concorrentes. Estamos fazendo a nossa parte", completou.

Ele também explicou a conversa que teve no vestiário, com os jogadores, após a atuação ruim no primeiro tempo. 

"Não dava para continuar daquela forma. No primeiro tempo tivemos um vestiário e preleção com muita vibração, mas entramos um pouco mole e permitindo o time do Santos jogar. E nós não conseguimos jogar. Tivemos um chute a gol e era necessário modificar, porque nós estávamos buscando o resultado e não podíamos deixar fugir em um jogo como esse. Felizmente o time reagiu, jogou melhor e o Santos dificilmente chegava com clareza. O time lutou mais. Foi uma vitória fundamental", pontuou. 

Leia tudo sobre: CruzeirofutebolRaposaMarcelo Oliveiratítulotreinadorcoletiva