Cruzeiro volta a bater o Santos e dá passo importante para o título

Ricardo Goulart marcou o único gol do triunfo celeste na Vila Belmiro. Raposa chegou a 70 pontos

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Em 2014, enfrentar o Santos fez muito bem ao time do Cruzeiro, que conta com vários jogadores de grande fé. Neste domingo, a Raposa voltou a vencer o time paulista, desta vez por 1 a 0, gol de Ricardo Goulart, na Vila Belmiro. Com um jogo a menos que o vice-líder São Paulo, os mineiros chegaram a 70 pontos. Para quem vê o futebol como religião, sobretudo os cruzeirenses, a crença no título da Raposa ficou ainda maior.      Sem grandes chances de chegar ao G-4, o jogo poderia ser considerado sem muita atratividade para o time santista. Mas enfrentar o algoz das semifinais da Copa do Brasil, a Raposa, dava um ar de revanche ao embate. O Cruzeiro, por sua vez, sabia da importância do resultado positivo, já que o São Paulo havia tropeçado no jogo antecipado que teve, contra o Internacional. Melhor para o líder do Campeonato Brasileiro.    Na próxima rodada, a equipe celeste terá complicado duelo contra o Grêmio, em Porto Alegre. A partida será na quinta-feira, às 21h50.    O jogo. Quando a bola rolou, o time de Marcelo Oliveira se mostrou a fim de manter a freguesia da equipe santista nesta temporada. Os mineiros começaram bem no jogo. Pelo menos os minutos iniciais foram assim, mas ficou só nisso. A primeira grande chance de gol foi do Peixe. Aos 15 minutos, Gabriel partiu em velocidade, passou pelo goleiro Fábio, e chutou para fora, com a meta vazia. Depois disso, o ruim primeiro tempo foi mais alvinegro.    No último minuto, ainda teve um lance inusitado. O Cruzeiro tentou cobrar um escanteio, mas uma segunda bola apareceu no gramado, jogada pela torcida santista. O árbitro Alinor Silva da Paixão, do Mato Grosso, resolveu apitar o fim do primeiro, o que gerou uma revolta nos jogadores celestes, que reivindicaram nova cobrança.    Insatisfeito com a postura do primeiro tempo, Marcelo Oliveira afirmou, em entrevista à Rádio Itatiaia, que o time parecia estar jogando um amistoso. Queria mais pegada. E o puxão de orelha surtiu efeito. Logo aos 7 minutos, em grande triangulação da Raposa, digna de um verdadeiro líder do Brasileirão, Ricardo Goulart completou para as redes.    Depois disso, o Cruzeiro passou a dominar o jogo. Somente aos 37 minutos, o Santos ameaçou a meta de Fábio, que fez um milagre na cabeçada do zagueiro Neto. O lance selou o triunfo da Raposa. 

Leia tudo sobre: Futebol CruzeiroSantosVitória