Faltam seis decisões em 2014

Ainda restam cinco rodadas no torneio de pontos corridos e um duelo decisivo no mata-mata

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

Oportunidade. Se Levir Culpi optar mesmo por escalar o time reserva, Dodô deverá ganhar uma chance
NIDIN SANCHES / O TEMPO
Oportunidade. Se Levir Culpi optar mesmo por escalar o time reserva, Dodô deverá ganhar uma chance

Seis jogos. Seis finais. Seis passos rumo à Libertadores. O Atlético terá três semanas decisivas, na busca por um lugar na próxima edição do maior torneio de clubes das Américas. O time fará cinco partidas a fim de obter uma vaga no G-4 do Brasileirão, além do confronto final da Copa do Brasil. A primeira desta série decisiva será hoje, às 19h30, contra o Figueirense, no Independência.

O Galo ainda terá pela frente Flamengo (quarta-feira, no Independência), Internacional (22/11, no Beira-Rio), Coritiba (30/11, no Independência) e Botafogo (7/12, no Maracanã), todos pelo Brasileiro. Sem contar a decisão da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, que será no próximo dia 26, no Mineirão.

O alvinegro tem duas chances para se classificar para a Libertadores 2015. Uma delas, figurar entre os quatro primeiros colocados do Brasileiro. A outra, vencer a Copa do Brasil. Só que, para um grupo com pretensões grandes, não existe prioridade. A ordem da vez é alcançar os dois objetivos.

E enquanto não chega o confronto decisivo com o Cruzeiro, o time promete manter o empenho e a garra para vencer os duelos até lá.

“Se conseguirmos seis pontos nos dois jogos seguidos que teremos em casa, estaremos fixos entre os quatro, e o campeonato estará em aberto. Queremos a melhor classificação possível no Brasileiro e também na Copa do Brasil. É possível manter o time num certo nível até o fim da temporada”, afirmou Levir Culpi.

A confiança é tão grande que o treinador acredita que o time continuará no mesmo nível ainda que seja preciso poupar vários jogadores. E é grande a probabilidade de isso acontecer hoje.

“Pelo noticiário, o Figueirense também terá mudanças. Mas podemos montar um time capaz de vencer. E temos outro grande fator, que é a torcida. Provavelmente, vamos mexer em algumas posições. Então, com o apoio do torcedor, fica melhor. Com certeza teremos algumas dificuldades no jogo”, comentou o treinador.

O mais importante é a equipe estar bem focada no sprint final. “É importante equilíbrio nas partes tática, técnica, física e psicológica. É um somatório para os jogos. Mas adianto que é um momento muito bom que estamos vivendo”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave