Aumento dos custos vai afetar comércio

iG Minas Gerais |

Foi-se o tempo em que o comércio conseguia absorver alguns aumentos, sem ter que repassá-los diretamente ao consumidor. “Hoje, a diferença de preço e produto entre a concorrência é pequena, e não há como não transferir reajustes de combustíveis ou de energia para o produto final”, afirma a empresária Cláudia Volpini, proprietária de uma loja de presentes no centro de Belo Horizonte.

Segundo ela, o impacto dos aumentos vem nas duas pontas: no comércio e no próprio consumidor, pois ele também sente diretamente o reajuste dos serviços públicos. “O aumento que o trabalhador tem no salário não será suficiente para absorver a elevação dos custos que já começaram a chegar”, avalia Cláudia.

Por isso, na opinião da empresária, o ano de 2015 será difícil também para os comerciantes, já que uma queda no consumo já é dada como certa.

“Temos que buscar alternativas para enfrentar os tempos difíceis que virão, como oferecer produtos e serviços mais baratos, além de reduzir, ao máximo, nossos custos operacionais”, explica. (MC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave