Uso de suplementos dispara, mas pode ser um tiro no pé

Sem indicação de um especialista, eles trazem risco e podem até aumentar o peso

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Correria. Wellington usa suplementos para substituir os lanches quando não tem tempo para comer um sanduíche balanceado
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Correria. Wellington usa suplementos para substituir os lanches quando não tem tempo para comer um sanduíche balanceado

A rotina do educador físico Wellington de Paula, 35, é puxada. Com mais de um local de trabalho, ele acaba não tendo horários certos para se alimentar adequadamente. Seis vezes por semana, ele pratica musculação. Duas vezes, faz exercícios aeróbicos. “Por orientação de um nutricionista, eu comecei a tomar suplementos alimentares para substituir os lanches”, conta. No meio da manhã e no fim da tarde, ele toma proteínas, carboidratos e aminoácidos para complementar a alimentação.

De acordo com um levantamento do laboratório paulista Meta Manipulação, a procura pelos suplementos cresceu 50% nos últimos dois anos. Com a aproximação do verão, a tendência é que esse interesse aumente mais ainda.

De acordo com Marcos Daniel Drumond, nutricionista do Centro de Treinamento Esportivo (CTE) de Minas Gerais e doutorando em ciências do esporte, a suplementação fornece nutrientes isolados, que podem ser uma boa opção para balancear a dieta de um atleta. Também é útil quando não há tempo para fazer a alimentação correta. Pode ser usada, ainda, para corrigir déficits nutricionais durante um período de reeducação alimentar.

Mas ela não é indispensável e também não faz milagres. “É importante salientar que os suplementos fornecem nutrientes que podem ser encontrados na alimentação, portanto não determinam respostas exacerbadas, como na maioria das vezes é esperado pelos consumidores”, aponta Drumond.

Critérios. O uso indiscriminado pode trazer efeitos indesejados e prejuízos para a saúde. “Se a pessoa tomá-los em quantidades superiores às indicadas, ela pode desenvolver uma toxicidade no organismo. Proteínas, vitaminas e minerais em excesso podem deixar o corpo tóxico”, alert a Fernando Antônio G. Motta, nutricionista e professor de educação física da Bodytech.

Outro risco é de os suplementos gerarem o efeito contrário ao desejado. Em excesso, eles podem levar a um aumento de gordura no corpo. Por isso, é fundamental consultar um nutricionista antes de começar a consumir os produtos. A dosagem certa pode ser o segredo para o “corpão”.

Além disso, é importante ter cuidado para comprar os suplementos. Os estimulantes de emagrecimento (termogênicos) à base de efedrina têm venda proibida no Brasil. “Eles aumentam a pressão arterial e podem causar taquicardia”, explica a farmacêutica Juliana Barone, da Meta Manipulação. Na compra, ela recomenda verificar se o rótulo possui todos os componentes da fórmula, o endereço do fabricante e o farmacêutico responsável. “Faça uma pesquisa de preços. Se algum estiver muito barato ou muito caro, pode desconfiar”, alerta.

 

Alertas no consumo de suplementos

Quantidade. Não tente fazer o mesmo uso que aquele amigo “bombado” da academia. As necessidades nutricionais variam de pessoa para pessoa.

Recomendação. Não confie em informações de internet, nem em indicações de leigos. Só um nutricionista pode recomendar o uso de suplementos.

Sobredose. Em excesso, os suplementos podem causar danos aos rins, ao fígado, toxicidades no organismo, além de aumentar a gordura corporal. Pesquisa.Não confie em produtos baratos ou caros demais. Eles costumam ter uma média de preços.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave