Movido pela atuação

iG Minas Gerais |

Ser ator é o papel de Paulo Vilela na vida. Representar parece estar ligado a tudo que o move. As questões específicas de seus personagens passam a ser suas também, mesmo que por um curto período de tempo.

Além de “Conselho Tutelar”, ele está envolvido no projeto “Jogos de Mente”, do cineasta Ricky Mastro. Ativista da comunidade LGBT, Ricky convidou Paulo para ser um dos personagens soropositivos e mostrar aos brasileiros que essas pessoas são normais, na tentativa de quebrar o preconceito. O tom de empolgação só diminui quando o projeto esbarra na burocracia. “Ricky está lutando para fazer cinema. Não sei se o filme vai ser lançado por causa da questão financeira. Falta apoio”, reclama.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave