'A gente entra com sangue nos olhos', diz Dátolo

Para se garantir na Libertadores pela terceira vez consecutiva, argentino destacou espírito que se apossou do Galo nesta reta final

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA |

Meia-atacante Jesús Dátolo
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Meia-atacante Jesús Dátolo

Seis jogos. Seis finais. Seis passos rumo à Libertadores. O Atlético terá três semanas decisivas, na busca por um lugar na próxima edição do maior torneio de clubes das Américas. O time fará cinco partidas para obter uma vaga no G-4 do Brasileirão e também o confronto final da Copa do Brasil.

O meia Dátolo enfatiza o espírito do time alvinegro para os compromisso que restam nas duas competições nacionais e rechaça qualquer tipo de cansaço, mesmo ciente de que os atletas farão um jogo a cada três dias e meio, aproximadamente.

"A gente está muito focado em cada jogo, seja na Copa do Brasil ou no Brasileirão. A gente entra sempre com sangue nos olhos e a faca entre os dentes. Sabemos de todo o esforço que fizemos e de tudo que conseguimos até agora. Todo jogo daqui em diante será uma final para Atlético", destacou.

O Galo ainda terá pela frente Figueirense (domingo, no Independência), Flamengo (quarta-feira, no Independência), Internacional (22/11, no Beira-Rio), Coritiba (30/11, no Independência) e Botafogo (7/12, no Maracanã), todos pelo Brasileiro, além da decisão da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, no próximo dia 26, no Mineirão.

Foi graças ao técnico Levir Culpi que o Atlético voltou a ser um time de decisão, após um primeiro semestre insosso. O lateral-direito Marcos Rocha sempre faz questão de ressaltar o papel fundamental do treinador para a mudança de postura da equipe.

"Ele (Levir) chegou e mudou a cara do Atlético. Sempre nos valoriza e nos passa confiança. E agora, podemos fechar o ano com chave de ouro com este título tão importante (Copa do Brasil) para a nossa equipe”, disse.  

Leia tudo sobre: datologaloatleticofutebolsanguelibertadores