Ministro da CGU pede acesso a dados da Operação Lava Jato

Órgão tem como atribuição entrar com ações que podem levar as companhias à proibição de contratar com o governo e também à demissão de servidores envolvidos com os desvios

iG Minas Gerais | Folhapress |

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, afirmou neste sábado (15) que a Controladoria tem a intenção de entrar com ações contra as empreiteiras e servidores responsáveis pelos desvios apurados pela Operação Lava Jato, etapa Juízo Final, iniciada nesta sexta-feira.

Segundo ele, para isso, seria necessário ter o compartilhamento das delações premiadas e dos documentos dos inquéritos, o que ainda não ocorreu.

"Estamos solicitando tanto à PGR como à PF [Polícia Federal] que compartilhem conosco os documentos para que iniciemos o mais rápido possível os processos contra essas companhias", afirmou Hage.

A CGU tem como atribuição entrar com ações que podem levar as companhias à proibição de contratar com o governo e também à demissão de servidores envolvidos com os desvios.

De acordo com o ministro, a CGU já iniciou as ações referentes a desvios em contratos da Petrobras com a empresa holandesa SBM. Segundo Hage, nos próximos dias, a Controladoria também vai iniciar os processos administrativos sancionadores contra os envolvidos nos desvios da compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA.

Leia tudo sobre: CGUPetrobras