'Nem sei para que serve psicólogo', diz Fernandinho

Volante minimizou a importância de profissional da área de psicologia na seleção brasileira

iG Minas Gerais | FOLHA PRESS |

O volante Fernandinho se tornou titular da seleção brasileira durante a Copa. Foi escolhido por Luiz Felipe Scolari para substituir Paulinho. Mas um dos pilares da filosofia do ex-técnico, a psicologia, é desdenhada pelo jogador. "Nem sei para que serve psicólogo", afirmou Fernandinho neste sábado (15), em Viena.

Ele disse ainda que sequer teve muito contato com a psicóloga da seleção na Copa, Regina Brandão, amiga de Scolari. "Nem falei com ela direito", declarou Fernandinho, titular da nova seleção de Dunga.

O meia Oscar, outro que esteve na Copa e que continua na seleção, também minimizou a necessidade de psicólogo na seleção. Questionado sobre qual remédio é melhor para a recuperação da seleção, um psicólogo ou vitória em campo, Oscar afirmou "gol e vitória".

As declarações dos jogadores contrapõem o discurso de Scolari na seleção durante a Copa, em que considerava a psicologia como essencial para que o time nacional desempenhasse boa campanha.

Para o ex-treinador, a psicóloga Regina Brandão era fundamental para que os atletas não sentissem tanto a pressão de jogar um Mundial em casa.

Dunga, seu sucessor, não utiliza nenhum psicólogo no trabalho com a seleção. Ele tem usado como argumento para motivar os atletas a recuperação que a seleção teve entre 1990 e 1994.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave