Lentidão força extraordinárias

A estratégia de convocar sessões extras também atingiria parlamentares da base de governo, que está se dividindo devido à eleição da presidência da Casa

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

A Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) fechou nesta sexta as reuniões de novembro sem aprovar nenhum projeto durante todo o mês. A Mesa Diretora planeja convocar reuniões extraordinárias para diminuir a possibilidade de obstrução da oposição.

De acordo com o vice-presidente do Legislativo, Wellington Magalhães (PTN), a Mesa irá concentrar as votações em sessões extras para vencer os opositores pelo cansaço. “Vamos aglutinar a votação em uma única pauta. Assim eles terão que votar. As manobras regimentais diminuem”, explica.

A estratégia de convocar sessões extras também atingiria parlamentares da base de governo, que está se dividindo devido à eleição da presidência da Casa. O pleito interno será disputado entre dois membros da sustentação do Executivo: Orlei (PTdoB) e Magalhães.

Se as extraordinárias não forem convocadas, as próximas reuniões ordinárias acontecerão em dezembro, quando a Lei Orçamentária e o Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) devem ser apreciados.Para que esses textos entrem na pauta, os 11 vetos do prefeito precisam ser analisados.

O vereador Arnaldo Godoy (PT) acredita que com atual ritmo será difícil votar o orçamento de 2015 antes do fim de 2014. “Se a base continuar sem votar, teremos sessões em janeiro”, disse.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave