Crianças com Aids não têm sequelas

iG Minas Gerais | Da redação |

Reconhecidos desde o início da epidemia de Aids, os transtornos cognitivos em bebês infectados com o HIV no parto têm sido suprimidos pelo uso correto de medicamentos, constata pesquisa coordenada pelo professor Vitor Haase, do Departamento de Psicologia, ao avaliar as funções neurológicas de crianças nascidas sob a supervisão do grupo do professor Jorge Pinto.  

O pesquisador explica que, antes da adoção de terapia antirretroviral eficaz, grande número dessas crianças apresentava quadros graves de comprometimento neurológico, como microcefalia, alterações motoras, crises convulsivas e retardo mental.

“Casos assim hoje são bem mais raros. Esses pacientes estão evoluindo bem e se desenvolvendo”, atesta, lembrando que alguns, já no início da vida jovem/adulta , vêm sendo acompanhados desde o início da década de 2000, quando foram introduzidos, no programa brasileiro de Aids, medicamentos antirretrovirais altamente eficazes. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave