Trio acusado de canibalismo é condenado por júri em Pernambuco

Ao ler a sentença, a juíza titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Olinda, Maria Segunda Gomes de Lima, disse que o réus "oferecem perigo ao público"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Depois de dois dias de julgamento, o trio acusado de praticar canibalismo em Pernambuco foi condenado pelo tribunal do júri na noite desta sexta-feira (14). Cada um ficará preso por pelo menos 19 anos. Os defensores dos três réus informaram que vão recorrer.

Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 52, Isabel Cristina Torreão Pires, 53, e Bruna Cristina Oliveira da Silva, 28, foram condenados por homicídio quadruplamente qualificado - por motivo fútil, com emprego de meio cruel, sem dar chance de defesa à vítima e para assegurar impunidade -, vilipêndio ao cadáver (tratar cadáver de forma desrespeitosa) e ocultação do corpo de Jéssica Camila da Silva Pereira, 17, em Olinda, em 2008.

A condenação de Jorge é para ele cumprir 21 anos e seis meses de prisão em regime fechado e um ano e seis meses, em regime aberto. Isabel e Bruna cumprirão, cada uma, 19 anos em regime fechado e um ano em regime aberto.

Ao ler a sentença, a juíza titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Olinda, Maria Segunda Gomes de Lima, disse que o trio "oferece perigo ao público" por ter cometido "antiga e abjeta prática da humanidade", o canibalismo.

De acordo com o Ministério Público, Jéssica foi atraída para a casa do trio por uma oferta de trabalho como empregada doméstica.

Além de querer ficar com a filha da vítima, na época com um ano de idade, Jorge, Isabel e Bruna queriam utilizá-la para um ritual de uma seita criada por eles, o "Cartel", contrária ao capitalismo e ao superpovoamento da Terra.

Para eles, era preciso sacrificar quem tinha mais filhos do que podia criar. Jéssica pedia esmolas com a filha no Recife. Em maio de 2008, eles mataram Jéssica com um corte de faca no pescoço em um ritual que chamaram de "purificação".

Depois, o corpo da vítima foi esquartejado e eles comeram os restos mortais dela. A filha de Jéssica também comeu a carne da própria mãe.

O trio ainda será julgado pelas mortes de Giselle Helena da Silva, 31, e Alexandra da Silva Falcão, 20, em Garanhuns. Segundo a acusação, elas também foram devoradas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave