Número de carteiras suspensas em Minas já é 54% maior do que em 2013

A grande maioria dos processos abertos são por motoristas que estouraram os 20 pontos na carteira no período de um ano

iG Minas Gerais | BERNARDO MIRANDA |

O número de motoristas que tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa em Minas em 2014 já é 54% maior que as suspensões de todo o ano passado. Até ontem, o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) já havia concluido 24.131 processos de suspensão. Em todo o ano de 2013 foram 15.674. Entre as principais infrações que geraram processos estão embriaguez ao volante e dirigir com velocidade 50% ou mais acima da máxima permitida para via.

Os dados foram divulgados ontem como parte das ações em celebração ao Dia Mundial em Homenagem às Vítimas de Trânsito. Além dos mais de 24 mil processos já finalizados, outros 21.063 ainda estão abertos, totalizando 45.194 novos pedidos de suspensão realizados em 2014. O número é mais do que o dobro de total de processos abertos em 2013, quando foram 21.927.

Na avaliação da coordenadora de Infrações e Controle do Condutor do Detran-MG, delegada Inês Borges Junqueira, esse aumento é resultado de um trabalho de intensificação do trabalho do órgão. “Isso é fruto de um trabalho que vem a mais de quatro anos, atualizando e melhorando os procedimentos para efetivar a suspensão. Estamos sempre realizando mutirões para agilizar esses processos de suspensão e dar ciência aos condutores infratores de suas responsabilidades”, analisou.

A grande maioria dos processos abertos são de motoristas que estouraram o limite de 20 pontos na carteira no período de um ano. Dos 45.194 processos abertos, 39.920 foram por esse motivo. Os outros 5.274 casos foram de motoristas que cometeram uma das nove infrações gravíssimas, que basta apenas uma notificação para que o condutor responda pelo processo de suspensão.

A suspensão da CNH varia de dois a 15 meses e o infrator é obrigado a fazer um curso de reciclagem de 30 horas aula. Em caso de reincidência ou de ser flagrado dirigindo mesmo com a carteira suspensa, ele terá a CNH cassada por até dois anos e terá que fazer todo o processo de habilitação novamente. 

A delegada Inês Junqueira explica que o índice de cassação é baixo em Minas. “Nossa experiência mostra que os motoristas suspensos ficaram mais cautelosos. A nossa função é pedagógica, educar através da penalidade imposta. Temos relatos de infratores que foram penalizados e chegaram até a agradecer”, finalizou.

Em Belo Horizonte as infrações campeãs em processos abertos foram embriaguez ao volante, com 1.561 pedidos de suspensão, e velocidade acima de 50% ou mais da máxima permitida, com 1.415.

Leia tudo sobre: carteiracnhsuspensamotoristasdetranmultasexcessopontospontuaçãocassada