Ferrari continua como equipe mais valiosa da F1, segundo a Forbes

Escuderia italiana foi avaliada em R$4,3 bi e também é a campeã de despesas da categoria

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ferrari ainda tenta engrenar na temporada 2013 da Fórmula 1
Ferrari ainda tenta engrenar na temporada 2013 da Fórmula 1

Sete temporadas se passaram desde que a Ferrari fez um piloto campeão da Fórmula 1 e há seis anos, a escuderia italiana não conquista o Mundial de Construtores da categoria. E em 2014, os maus resultados voltaram a aparecer o que gerou uma crise interna no time de Maranello (ITA), levando a mudanças de direção da escuderia e a provável troca de pilotos: sai Fernando Alonso e entra Sebastian Vettel. Mesmo com este turbilhão de problemas, a Ferrari continua sendo a equipe mais valiosa da F1. Um levantamento da revista norte-americana Forbes, mostra que o time italiano foi avaliado em cerca de 1,35 bilhões de euros (R$4,3 bi), bem superior ao segundo lugar, que ficou com a britânica McLaren, cotada em 649 milhões de euros (R$2,1 bi).

O levantamento foi feito com base nos valores movimentados pelas equipes em 2013. A terceira escuderia mais valiosa é a Red Rull Racing (RBR), que vale 513 milhões de euros (R$1,6 bi). Em quarto aparece a Mercedes -atual campeã do Mundial de Construtores e que também conquistará o título de pilotos com Lewis Hamilton ou Nico Rosberg. A escuderia alemã foi avaliada em torno de 449 milhões de euros (R$1,4 bi).

Fechando a lista das cinco equipes mais valiosas da F1, está a inglesa Williams, cotada em 304 milhões de euros (R$ 984 mi).

Ainda, a Forbes também apresentou o valor estimado das equipes consideradas “medianas” e “pequenas” na Fórmula 1. Em sexto lugar do ranking das mais valiosas aparece a Lotus, avaliada em 196 milhões de euros (R$ 634 mi). Em sétimo está a Force India, com valor estimado de 128 milhões (R$ 414 mi). Nas últimas posições aparecem, a Sauber, cotada em 124 milhões de euros (R$ 401 mi) e a Toro Rosso (STR) que vale 120 milhões de euros ( R$ 388mi).

Ficaram de fora da análise da Forbes a Caterham, que passa por recuperação judicial e a Marussia, que já encerrou as suas atividades nesta temporada.

Despesas - Segundo a Forbes, a Ferrari também é campeã em despesas que atingem a casa dos milhões. Na temporada passada, os gastos da equipe italiana chegaram a 400 milhões de euros (R$1,29 bi). Mesmo com os altos custos, a escuderia italiana permanece rentável, afinal recebeu , 200 milhões de dólares (R$520 mi) apenas dos seus patrocinadores.  

Leia tudo sobre: formula 1ferrariforbesmclarenmercedesrbrwilliams