Mulher se apaixona por doador anônimo de esperma do filho

Australiana se interessou pela ficha do homem e vasculhou a internet até encontrá-lo

iG Minas Gerais |

Reprodução / Facebook
undefined

Rio de Janeiro. Cineastas de Hollywood já estão de olho nesta típica história de amor do século XXI. Após conseguir finalmente ser mãe de uma menina por meio da Fertilização in Vitro (FIV), uma australiana ficou noiva de ninguém menos do que o doador do esperma e pai biológico de sua filha.  

Aminah Hart, 45, disse em entrevista ao “The Telegraph” que só conheceu seu futuro marido depois de dar à luz Leila. Ela já havia tido dois bebês do sexo masculino anteriormente pelo método natural de concepção, mas nenhum deles sobreviveu. Acredita-se que Hart tenha uma doença genética que ataca exatamente os filhos, mas não as filhas.

Com as antigas frustrações, Hart recorreu à FIV. Ao virar as páginas do catálogo de doares de uma clínica, a mulher se deparou com o perfil de Scott Andersen, um fazendeiro de gado que vive em uma ilha ao sul da Austrália. Segundo conta Hart, o que chamou sua atenção foi a autodescrição de Andersen na página: “Feliz e saudável”.

Determinada a encontrar o pai da própria filha, ela descobriu identidade de Andersen por meio de uma série de pesquisas na internet com base em seu nome. Scott, assim como sua profissão de criador de gado e seu papel temporário como um treinador de futebol.

Mas em vez de entrar em contato com ele diretamente, ela se valeu do registro oficial de fertilização in vitro. Pelas leis australianas, Andersen não seria obrigado a encontrar-se e assumir Leila até que ela completasse 18 anos. No entanto, ele concordou em vê-la principalmente depois de receber uma foto da criança e ver o quanto ela se parecia com ele próprio e com outros quatro filhos de dois casamentos anteriores.

O casal concordou então que Andersen se tornaria uma parte constante da vida de Leila, e todos eles começaram a se reunir uma vez por mês. Em seguida, uma vez por semana, mesmo que ela vivesse a cerca de 130 km de distância, em Phillip Island, na costa do Estado de Victoria.

“Ele estava nervoso no começo, e ficamos muito hesitantes, mas o relacionamento era muito fácil. A primeira coisa que pensei ao encontrá-lo foi: ‘Ufa, ele é um cara legal’, contou Hart ao “The Telegraph”.

Foi então que, em um belo dia, Hart ficou presa na ilha devido ao mau tempo que fechou uma estrada. Eles então foram para o bar tomar uma cerveja, e ela disse: “Acho que você deveria me beijar”. Demorou cinco minutos ou mais, mas a dupla finalmente virou um casal.

O romance foi de vento em popa até esta semana, quando ambos anunciaram o noivado. Aconteceu assim: em férias na Tailândia, Andersen tinha saído para comprar leite em uma aldeia. E para a surpresa de Hart, ele voltou com um anel. “Adorei, porque era tão Scott!”, disse Hart.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave