Olhar para os vários leitores

Quarta edição da Bienal do Livro de Minas começa hoje com atividades infantis e palestra de Silviano Santiago

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Autora. A best-seller norte-americana Margareth Stohl é um dos destaques da Bienal do Livro de Minas
BIENAL DO LIVRO
Autora. A best-seller norte-americana Margareth Stohl é um dos destaques da Bienal do Livro de Minas

Com a missão de acolher diferentes tipos de público, a quarta edição da Bienal do Livro de Minas, que começa hoje, no Expominas, prepara um evento cada vez mais afinado com os diversos interesses dos leitores. Organizada para atender desde os pequenos aos adolescentes e adultos, a programação vem também se especializando em reunir linguagens que dialogam com o universo da palavra, expandindo o volume de atrações promovidas até o próximo domingo.

É assim que os quadrinhos, a contação de histórias e também as artes cênicas vão estar integradas aos já tradicionais encontros promovidos no Café Literário. Conhecido por ser o carro-chefe da bienal, o espaço será inaugurado hoje com a palestra de Silviano Santiago. Amanhã será a vez de Adriana Calcanhoto e Gregório Duvivier que iniciam a tarde oferecendo uma leitura das poesias mais apreciadas por eles. Após Luiz Ruffato e André Sant’Anna debaterem, em seguida, questões relacionadas à literatura e à política no Brasil, Carlos de Brito e Mello, Mario Alex Rosa e Ana Martins Marques vão lançar olhares sobre a atual produção brasileira de prosa e poesia.

Com foco maior no público jovem, o evento também traz Paula Pimenta, Isabela Freitas, Thalita Rebouças, Carlinha Munhóz, Raphael Draccon, Carina Rissi, Pedro Bandeira e Pedro Gabriel.

Um dos destaques deste ano é a presença da autora norte-americana Margareth Stohl, que aqui lança, no domingo, dois livros do projeto “Ícones”. Após vender mais de 3,5 milhões de exemplares da série “Beautiful Creatures”, criada em parceria com Kami Garcia, a californiana se tornou um dos fenômenos recentes do badalado segmento da literatura fantástica.

Em entrevista por e-mail ao Magazine ela antecipou, inclusive, que está concluindo uma nova versão do quadrinho “Viúva Negra” para a Marvel. O convite para trabalhar com a história da espiã soviética Natasha Romanoff, de acordo com ela, surgiu motivada pela sua experiência com os gêneros fantástico e jovem adulto. “Eu já trabalhei com a Marvel e agora me chamaram porque queriam contratar alguém que já tivesse familiaridade com a linha jovem adulto para criar o primeiro projeto desse tipo da editora. Estou muito feliz de ter sido escolhida. Para mim assumir esse trabalho é uma honra, especialmente porque eu sou uma grande fã da Marvel e da Viúva Negra”, diz Margareth Stohl.

Esta será sua segunda criação voltada para esse nicho. A primeira foi um mangá baseado na trama de “Beautiful Creatures”. Antes de estrear em 2009, na literatura, Stohl trabalhou para a Marvel em outra seara, no desenvolvimento de videogames. Ela fez parte da equipe que criou, por exemplo, os jogos “Homem-Aranha” e “Quarteto Fantástico”. Foi desenhando ambientes em 3D que a autora aprendeu a desenvolver os mundos ficcionais apresentados em seus livros.

Ao comparar as duas vertentes, ela sublinha como a literatura permite uma maior liberdade criativa. “Videogames têm uma estrutura narrativa intrincada e uma ação é muito dependente da outra. Roteiristas e designers precisam escrever páginas para cada possível diferente resultado. Um romance que possui uma única história é mais fácil de escrever. Além disso, você não precisa construir todo o cenário num computador, como nos jogos. Nossos leitores têm os mais maravilhosos microprocessadores do mundo em seus próprios cérebros!”, ressalta Stohl.

Programe-se

A Bienal abre hoje ao público a partir de 12h. O evento acontece até o dia 23, no Expominas (av. Amazonas, 6200, Gameleira). Ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia). Programação completa: www.bienaldolivrodeminas.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave