Promessa de mais polêmica sobre preços de ingressos

Diretoria celeste deve cobrar valores bem altos da torcida atleticana no jogo de volta, no Mineirão

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Problemas. Último clássico disputado entre Cruzeiro e Atlético no Mineirão teve confusão entre as torcidas, e a PM teve que intervir
JOAO GODINHO/ O TEMPO
Problemas. Último clássico disputado entre Cruzeiro e Atlético no Mineirão teve confusão entre as torcidas, e a PM teve que intervir

O primeiro jogo da final da Copa do Brasil encerrou os primeiros 90 minutos da decisão em campo, mas as polêmicas de bastidores devem ganhar novos capítulos nos próximos dias. O assunto em questão será, de novo, a carga de ingressos para visitantes.

Mandante da partida de ida, o Atlético decidiu jogar no Independência. Após vistoria da Polícia Militar, a capacidade do setor separado pela diretoria para os cruzeirense tinha uma quantidade de lugares inferior ao que o Cruzeiro entendia como a cota de 10%, estabelecida em regulamento. Resultado: a diretoria celeste rejeitou a carga oferecida e o clássico foi de torcida única alvinegra.

Para o jogo do Mineirão, no dia 26 de novembro, a diretoria celeste sinalizou que irá cumprir o Regulamento Geral de Competições e oferecer os 10% para a torcida rival. O que não se sabe ainda é qual o valor do ingresso para os torcedores atleticanos.

O clube mandante é livre para estabelecer o valor do ingresso e a expectativa é que os preços seja bem salgados, além dos R$ 400 de inteira que o Atlético tinha estipulado anteriormente para o torcedor azul no Independência.

Segundo o Ministério Público, o Cruzeiro pode vender o ingresso pelo preço que quiser, desde que os valores de setores iguais ou equivalentes não sejam diferentes. A diretoria cruzeirense já colocou à venda os ingressos para os sócios-torcedores, que já adquiriram cerca de 33 mil bilhetes, segundo a última parcial. O clube aguarda a sobra para vender para os torcedores comuns nas bilheterias o que, possivelmente, já será mais caros do que para os associados.

Estratégia. Nos últimos jogos, o Atlético vem adotando uma estratégia de colocar o preço da inteira bem mais caro – o setor VIP do último jogo estava estabelecido por R$ 1.400 –, mas fazendo a venda ilimitada de meia entrada. Se fosse colocado um valor mais baixo para a inteira, o clube teria que vender 40% com o preço de meia. Esse tipo de prática é comum em grandes eventos.

Com os preços salgados, o Galo teve no último jogo a maior arrecadação histórica do novo Independência: R$ 4,7 milhões. O público, no entanto foi de 18.578. Sobraram 1.800 ingressos de R$ 400.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave