População segue em defesa da Mata do Arcádia

iG Minas Gerais |

Em setembro deste ano, O TEMPO Contagem noticiou que Mata do Arcádia, localizada no centro da cidade, em meio a zona urbana, pode ser destruída para a construção de mais um empreendimento imobiliário. Desde o início do ano a população vem se mobilizando contra a possível construção de três torres com 16 andares, oito moradias por andar sendo ocupadas por 360 famílias – que colocaria em risco toda a fauna e flora do ambiente. Os defensores da mata chegaram a criar uma página de repúdio que já conta com mais de 1.400 pessoas, que cobram a intervenção dos órgãos públicos. De lá pra cá o entendimento entre a população e o poder público não avançou.

Em reunião realizada em setembro com o Conselho Municipal de Cultura e do Patrimônio Ambiental e Cultural de Contagem (Compac), o processo foi aprovado. Houve um empate de 5 x 5, e o voto da presidente foi decisivo a favor da construtora. Na ocasião, a Associação dos Moradores do Bairro Arcádia (Ambar) apresentou a ilegalidade da aprovação, uma vez que – segundo a associação, o projeto não atende a leis nas três esferas: federal, estadual e municipal.

A Ambar vem buscando apoio político em defesa da mata, mas até o momento não concretizou nenhuma parceria. O vereador Decinho participou de uma reunião no bairro e a ex-prefeita e deputada eleita, Marília Campos indicou o vereador Rodney (PT) para se reunir com a associação. Mas, por incompatibilidade de agenda, esse encontro ainda não aconteceu. Agora, a associação está batalhando por uma audiência com o prefeito Carlin Moura. “Acreditamos que reunidos com o prefeito teremos a chance de mostrar de forma clara, concisa e fundamentada, que o Compac está infringindo leis e colocando a prefeitura, e portanto o próprio prefeito, em condições e ser autuado criminalmente. E, a Ambar não hesitará em tomar esta medida, caso as leis não sejam cumpridas”, declara.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave