Polícia revela detalhes de ato canibal em Recife

Depoimentos contraditórios não deixam claro se filha de Jéssica também comeu carne da mãe

iG Minas Gerais |

Jorge, Isabel e Bruna são acusados de matar, esquartejar e fazer salgados com corpos de três vítimas
Assis Lima / Ascom TJPE
Jorge, Isabel e Bruna são acusados de matar, esquartejar e fazer salgados com corpos de três vítimas

OLINDA. O delegado Paulo Berenguer, responsável por investigar a morte de Jéssica Camila da Silva Pereira, 17, em maio de 2008, contou nesta quinta detalhes de como a jovem foi assassinada pelo trio acusado de cometer canibalismo. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 52, Isabel Cristina Torreão Pires, 53, e Bruna Cristina Oliveira da Silva, 28, estão sendo julgados no fórum de Olinda, na região metropolitana do Recife.

O trio é acusado de ter cometido homicídio quadruplamente qualificado – por motivo fútil, com emprego de meio cruel, sem dar chance de defesa à vítima e para assegurar impunidade –, ocultação de cadáver, entre outros crimes.

De acordo com Berenguer, Jéssica pedia esmolas em Boa Viagem, na zona Sul do Recife, na companhia da filha, à época com 1 ano de idade.

O delegado disse que Isabel queria adotar a criança para criá-la com Jorge e Bruna em Olinda. Para atrair Jéssica, Isabel ofereceu-lhe um trabalho de empregada doméstica com salário acima da média de mercado, segundo Berenguer.

Em depoimentos com uma série de contradições, dois dos três acusados confessaram ter comido a carne das vítimas, mas negaram ter feito empadas e salgadinhos com vísceras humanas. Jorge ainda confirmou que a filha de Jéssica comeu a carne da mãe, mas Isabel negou.

O julgamento que começou nesta quinta é da morte de Jéssica, mas os três também são acusados ainda pela morte de Giselle Helena da Silva, 31, e Alexandra da Silva Falcão, 20.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave