Performance: o gênero camaleão da arte

A performance, gênero artístico contemporâneo, transita pelos mais diversos tipos de arte; ela está presente, inclusive, no audiovisual, nas artes cênicas, na música e dança

iG Minas Gerais | Felipe Bueno |

As produções audiovisuais flertam, cada vez mais, com os outros universos da arte. Os artistas, desejosos de romper as barreiras, os limites da arte, usam a criatividade para costurar as diversas manifestações artísticas. Hoje, os videoclipes, além da música, valem-se das artes cênicas, da dança e de elementos visuais. Um show à parte, as performances neste tipo de produção, como é o caso da banda OK Go, têm ganhado fôlego. Outros grupos musicais, como o trio brasileiro “Banda Uó”, também abusam da performance em shows e clipes. A inspiração vem do gênero de arte que não aceita definições muito exatas.

A Performance Art é uma manifestação artística anárquica, que procura se desvencilhar dos rótulos e definições, como propôs o teatrólogo, professor e teórico Renato Cohen (1963 - 2003). Para o estudioso, a expressão é considerada, antes de tudo, arte cênica, que pode se valer das artes visuais, música e dança. A partir desse conceito pré definido, entende-se a performance caracterizada a partir dos elementos espaço e do tempo. Ou seja, a performance ocorre quando algo se realiza num determinado instante e local.

A Performance Art é um gênero artístico que nasce da mescla de outras manifestações artísticas. O estilo, acredita-se, originou-se a partir do Happening, expressão das artes visuais fundida às artes cênicas, e, também, do Body art, expressão artística que usa o corpo humano como suporte para a arte.

Ambas as manifestações, que estão ligadas ao movimento futurista, surgiram da vontade de artistas interagirem mais com o público, no final da década de 50 em Nova Iorque. Hoje, com sua difusão, tornou-se difícil determinar os limites da Performance Art e, por isso, por vezes, é confundido com as artes tradicionais, teatro, dança ou música.

Ao misturar várias vertentes artísticas, o movimento artístico Fluxus, foi um dos pioneiros da Performance Art na década de 1960 e 1970. A expressão, de caráter libertário, propôs uma profusão de referências. Tendo como ponto de partida as artes visuais, o movimento que surgiu em Nova York, em 1961, também se valeu da música e literatura. Veja exemplos de performance na nossa lista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave