Ex-delegado acusado de matar namorada é visto em faculdade em BH

Polícia Civil informou que ele faz um curso a distância; desembargador que vai julgar o recurso apresentado pela defesa do réu pediu informações sobre a autorização ao Fórum de Ouro Preto

iG Minas Gerais | Bernardo Miranda |

O desembargador Renato Martins Jacob, responsável por julgar o recurso apresentado pela defesa do ex-delegado, Geraldo Toledo, enviou um ofício para o fórum de Ouro Preto com intuito de saber se existe autorização para que ele deixe a Casa de Custódia da Polícia Civil, onde está preso, e quem deu essa autorização. Ele é acusado de matar a ex-noiva, em Ouro Preto, em abril do ano passado.

O ofício foi motivado pelas imagens divulgadas pela TV Alterosa que mostram Toledo andando pelas ruas do bairro Floresta, escoltado por dois policiais civis à paisana, até a entrada em uma universidade de educação à distância.

Inicialmente, a Polícia Civil informou que o ex-delegado teria sido levado para um atendimento odontológico e que para isso não haveria necessidade de autorização judicial, como prevê o artigo 120, da Lei de Execuções Penais. Depois a corporação informou que Geraldo Toledo tem autorização da justiça de Ouro Preto para fazer um curso à distância, com saídas esporádicas para realização de provas presenciais.

A assessoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais informou que aguarda confirmação do Fórum do Ouro Preto sobre essa autorização, mas adiantou que o desembargador Renato Martins Jacob, emitiu um ofício para que essa resposta seja dada em um prazo máximo de 48 horas. O magistrado quer saber quem concedeu essa autorização, se foi das varas de primeira instância, ou dos superiores tribunais, em Brasília.

O desembargador é o responsável por julgar o recurso apresentado pela defesa de Geraldo Toledo, que tenta reverter a decisão de pronúncia com objetivo de evitar que ele vá a júri popular.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave